RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Estreia: Ucraniano ‘A gangue’ é inteiro ‘falado’ em língua de sinais

a-gangue 
 Filme é protagonizado por atores surdos e mostra rito de passagem. Produção não tem qualquer legenda ou diálogo verbalizado.
O ucraniano “A gangue” tem uma peculiaridade: é inteiramente falado em língua de sinais e protagonizado por atores surdo. A temática da gangue juvenil já é bem saturada pelo cinema e, no fundo, representa os ritos de passagem para a vida adulta. Sem qualquer legenda ou diálogo verbalizado, a narrativa se constrói da fala silenciosa de suas personagens e do som ambiente.
Isso, é claro, causa, num primeiro momento, desconforto no público, que intuitivamente acompanha o desenrolar da trama. Depois, o longa, escrito e dirigido por Miroslav Slaboshpitsky, traz outros tipos bem maiores de desconforto – em seu sexo explícito e na violência, deixando a falta de falas em segundo plano.
Sergey (Grigory Fesenko) chega a um internato para surdos, um lugar como outro internato que tanto se vê no cinema: disciplina rígida, uniformes e uma tensão e disputa entre personagens. Mas o jovem quer se encaixar, fazer parte do grupo, por assim dizer. Se comportam conforme mandam as regras da instituição durante o dia, mas à noite se transformam, liderados por um deles (Alexander Osadchiy); roubam dinheiro e bebidas.
Quando finalmente é aceito, Sergey começa sua escalada rumo ao topo da gangue. Primeiro junta dinheiro para passar a noite com uma das garotas da escola, Anya (Yana Novikova) – e os dois se tornam amantes, o que resulta em algumas das cenas gráficas do longa. A garota e sua amiga Svetka (Rosa Babiy) querem imigrar para a Itália, mas o sonho é interrompido por uma gravidez inesperada – no que resultará em outro dos “momentos fortes” do filme.
Ganhador de três prêmios no Festival de Cannes do ano passado – entre eles o principal da competição paralela Semana da crítica –, Slaboshpitsky não tem pudores em mostrar a violência – especialmente perto do final – como a única saída para suas personagens. É o refúgio deles, é uma espécie de última forma de expressão que encontraram. É cruel, mas, ao mesmo tempo, faz um certo sentido: mas seria a única forma que eles têm para “gritar”? É claro que não.
* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

Fonte/Editado: http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2015/05/estreia-ucraniano-gangue-e-inteiro-falado-em-linguagem-de-sinais.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI NO BLOG!!!
SEU COMENTÁRIO FAZ TODA DIFERENÇA!!!

Um comentário é o que você pensa, sua opinião, alguma coisa que você quer falar comigo.

BJOS SINALIZADOS.