RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

sábado, 23 de junho de 2018

1º ENCONTRO ARARANGUAENSE DE SURDOS / SC - 02 A 30/07/18

 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1862436570513679&set=gm.430297114110515&type=3&theater

Semana do Tradutor UNESP/Ibilce - 24 a 28/09/2018

 
Você já pode conferir a programação oficial atualizada da XXXVIII Semana do Tradutor! Com o tema “Caminhos da acessibilidade: o papel sociocultural da tradução”, o evento ocorrerá de 24 a 28 de setembro! Visite nosso site: www.38semanadotradutor.wixsite.com/unesp

#PraCegoVer - A imagem tem fundo com tons de azul escuro e claro. No canto superior esquerdo, está escrito o tema da Semana e a data em que ela ocorrerá. No centro, “Programação”, tudo em branco e caixa alta. No canto superior direito, o logo da XXXVIII Semana do Tradutor. Ao longo da imagem, está descrita a programação em fonte branca, dividida por dia e hora (destacados com fundos alternados entre azul claro e escuro). Os horários possuem fundo preto. No canto inferior direito, estão os seguintes logos em sequência (de cima para baixo): 40 anos do curso de Tradução na Unesp/Ibilce; Unesp; Ibilce.
 
https://www.facebook.com/semanadotradutor/photos/a.558624264202338.1073741828.538958246168940/1848631318534953/?type=3&theater

Morreu Koko, a gorila que dominava a língua de sinais

Koko, uma gorila criada em cativeiro e que se tornou famosa em todo o mundo por seu domínio da língua de sinais, morreu na quarta-feira na Califórnia, anunciou a Gorilla Foundation. Ela tinha 46 anos.

A primata, que nasceu em 4 de julho de 1971 no jardim zoológico de San Francisco, morreu enquanto dormia, indicou a fundação em um comunicado.
“A capacidade de Koko para a língua e sua empatia abriu as mentes e os corações de milhões de pessoas”, ressaltou a fundação, que a descreveu como “um ícone da comunicação entre espécies”.
“Ela era muito amada e sentiremos muita falta dela”, acrescentou.

 

Em 1972, a pesquisadora e psicóloga para animais Francine Patterson começou a ensinar a língua de sinais para Koko. Logo a gorila continuou seu aprendizado na Universidade de Stanford, onde foi criada a fundação dedicada ao estudo dos gorilas em cativeiro.
Koko, que chegou a dominar mais que mil palavras, foi protagonista de muitas reportagens que a levaram à fama.
Começando pela cobertura da National Geographic, em outubro de 1978, que a mostrou tirando uma foto de si mesma e olhando em um espelho.
Koko, em seguida, ganhou mais notoriedade por sua afeição por um gatinho que ela mesmo batizou “All Ball” e sua relação até inspirou um livro infantil que se tornou um clássico, “Koko’s Kitten”.
Quando o gato morreu, atropelado por um carro, Koko mostrou sua dor por meses.
A gorila também amava pintar e participou de conversas online com muitos fãs.
A primeira embaixadora dos gorilas do planeta também foi objeto de controvérsia.
Em 2005, duas mulheres entraram com uma ação contra a fundação por tê-las forçado a ficar sem camisa na frente de Koko para se comunicar melhor.
A fundação rejeitou as acusações e a disputa resultou em um acordo amistoso.

http://www.surdosol.com.br/morreu-koko-a-gorila-que-dominava-a-lingua-de-sinais/


 

https://www.facebook.com/DPANTVNEWS/videos/851112108414521/?hc_ref=ARTrYHBtxyVzQFlngAw6jWANcsCf_BOfRJwdUfenwbNYLQ7DD2NXTQ5_hOvSB2Ipx9k

quinta-feira, 19 de abril de 2018

"Oficina de Matemática Financeira" e de "Português como Segunda Língua (PL2)." - CAS DIAMANTINA / MG


 
O CAS Diamantina vem informar que estão abertas as inscrições para "Oficina de Matemática Financeira" e de "Português como Segunda Língua (PL2)."
As inscrições deverão ser feitas através do e-mail: 

desp.casdtna@educacao.mg.gov.br 

ou na sede do CAS Cas Diamantina, localizado na Rua Zeca Bruno, 651, Cazuza. Diamantina- MG.
Período de Inscrição: 18 de Abril até 23 de Abril.
Publico Alvo: Surdos

https://www.facebook.com/casdtna/videos/pcb.165235884175811/165229030843163/?type=3&theater

Espetáculo AYRTON SENNA, O MUSICAL - COM LIBRAS E AUDIODESCRIÇÃO.



A história do brasileiro Ayrton Senna, tri-campeão mundial de Fórmula 1, o levou a ser reconhecido como um dos maiores pilotos de todos os tempos, herói nacional e ídolo internacional. Mas é a essência da sua personalidade e caráter, com espírito guerreiro e de solidariedade, que estará nos palcos do espetáculo “Ayrton Senna, o Musical”.

Espetáculo: AYRTON SENNA, O MUSICAL

Data: *21* de abril (sábado).

Horário: *17:00* horas.

Local: Teatro Sergio Cardoso

Endereço: Rui Barbosa, 153 - Bela Vista/São Paulo.

Duração: 140 minutos.

Classificação: livre.

Valor:
Sábado às 17h: Plateia Central - Inteira R$ 130,00 Plateia Lateral – Inteira R$ 100,00 Balcão - Inteira R$ 50,00 Sábado às 21h Plateia Central - Inteira R$ 150,00 Plateia Lateral – Inteira R$ 120,00 Balcão - Inteira R$ 50,00

INGRESSOS *CORTESIA* (GRATUITO) PARA PESSOAS *SURDAS*

APROVEITE!!!!!

Por favor confirmar presença pelo email: librassemfronteiras@gmail.com


https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1562641487167954&set=gm.950882348445795&type=3&theater

Assustador! Mulher descobre aranha viva em sua orelha

Caso ocorreu na Índia. Lekshmi L. foi a um hospital após sentir fortes dores de cabeça e incômodo na orelha.


Um vídeo assustador, e ao mesmo tempo fofo está fazendo o maior sucesso na web. 

Uma aranha sai da orelha de uma mulher, enquanto parece assustada com o mundo externo.

 https://hora7.r7.com/fotos/assustador-mulher-descobre-aranha-viva-em-sua-orelha-18042018#!/foto/13

terça-feira, 17 de abril de 2018

CAMINHADA PELA INCLUSÃO - MONTES CLAROS / MG

PROCESSO SELETIVO UAB INES


Glossário Linguística e Afins. (Glossário/Libras)

Professora promove contação de histórias infantis em Libras pela internet






Para quem ouve, é uma experiência inusitada. Não há som ou legendas na maioria dos vídeos. Ainda assim, está ali a literatura. As histórias dos livros infantis contadas nos vídeos do projeto “Mãos Aventureiras” precisam só dos sinais feitos em Libras por Carolina Hessel para chegar a seu público: as crianças surdas de todo o país.
Professora da Linguagem Brasileira de Sinais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Carolina Hessel criou, com apoio da instituição, o www.ufrgs.br/maosaventureiras/, no qual publica vídeos contando histórias recentes da literatura infantil usando a linguagem de sinais.

“Tomando contato com a riqueza da literatura infantil atual, tive a ideia de fazer esta tradução há algum tempo, mas só consegui colocar em prática no fim do ano passado. O site foi criado para preencher uma lacuna”, diz.
Entre os livros que ela apresenta em seus vídeos estão obras nacionais recentes como “Adelia”, de Jean-Claude Alphen, premiado com o Jabuti em 2016; e “Clara” (2007), com texto de Ilan Brenman e ilustrações de Silvana Rando; há ainda alguns clássicos, como “As Centopeias e seus Sapatinhos” (1978), de Milton Camargo.
O projeto é o único no país a fazer essa “tradução” para o público infantil. “A presença de conteúdos em Libras é muito baixa nas redes sociais. Faltam iniciativas e, também, apoio institucional e mesmo financeiro, já que essas iniciativas exigem investimento, tempo, apoio técnico…”, diz a professora.
Carolina ressalta que os livros podem ajudar não só no contato das crianças surdas com a literatura, como também no desenvolvimento do aprendizado de Libras dos pequenos.

Confira um dos vídeos com contação de histórias:




https://www.metrojornal.com.br/cultura/2018/03/31/professora-promove-contacao-de-historias-infantis-em-libras-pela-internet.html

Sem intérprete, homem surdo usa cartaz para se comunicar em tribunal no DF

Vídeo mostra homem saindo da plateia para ajudá-lo. Lei obriga presença de intérprete em órgãos públicos.

 Por Michele Mendes, TV Globo

Homem surdo usa cartaz para se comunicar em audiência no Tribunal de Contas do DF (Foto: Reprodução)   
 
Homem surdo usa cartaz para se comunicar em audiência no Tribunal de Contas do DF (Foto: Reprodução) 
 
Um representante da Associação de Pais e Amigos de Deficientes Auditivos (Apada-DF) precisou escrever em uma folha de papel para se comunicar em uma audiência no Tribunal de Contas do Distrito Federal, nesta terça-feira (3), porque a casa não tinha intérprete e os juízes não conseguiram entender a representação feita por ele na língua de sinais.
A representação foi feita porque o Ministério Público de Contas do Distrito Federal entrou com uma petição no tribunal pedindo que seja cumprida a lei distrital que obriga a presença de um intérprete para pessoas surdas em órgãos públicos. 

Homem surdo usa cartaz para se comunicar no Tribunal de Contas do DF 
 
  Homem surdo usa cartaz para se comunicar no Tribunal de Contas do DF
O vídeo mostra o momento em que um intérprete se levanta da plateia e vai até o homem para se comunicar com o colegiado. O deficiente auditivo Carlos Augusto Ferreira, em sua representação, contou que já se deparou com diversos problemas para se comunicar em nos hospitais públicos.
"Já lidei com uma situação, por exemplo, no Hospital de Base. Eu vi um surdo internado numa maca e eu estranhei que esses surdos estavam com as mãos amarradas e eu fiquei chocado", começou.
"Eu perguntei para enfermeira o que que tinha acontecido e ela respondeu: Ele estava nervoso, a gente não tinha comunicação, o hospital não tinha interprete de libras."
 Homem que estava na plateia ajuda surdo a se comunicar com colegiado do TCDF (Foto: Reprodução)

'Horário de lanche'

A reportagem acompanhou Carlos Augusto Ferreira no DFTrans para tentar atendimento para que ele conseguisse o passe livre. Ao chegar lá, a atendente disse que a pessoa que fazia a tradução estava "em horário de lanche".
A deficiente auditiva Alusca Neves queria confirmar a consulta com o fonoaudiólogo no Instituto Hospital de Base, mas precisou escrever porque ninguém conseguia entender o que ela falava. A atendente do hospital confirmou que não tinha ninguém para auxiliar nesses casos.
“Ou ela tem que ler meus lábios ou eu faço gestos. Nem sempre a gente consegue se comunicar, e tem uma certa limitação, sim”, disse a servidora do hospital.
Em nota, o TCDF disse que "vem buscando uma alternativa para suprir essa necessidade", seja com a disponibilização de vaga em concurso público para intérprete da Linguagem Brasileira de Sinais, seja pela promoção da capacitação de servidor na tradução de libras. Já o DFTrans limitou-se a informar que não tem interprete de libras.
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF

https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/sem-interprete-homem-surdo-usa-cartaz-para-se-comunicar-em-tribunal-no-df.ghtml?utm_source=twitter&utm_medium=share-bar-smart&utm_campaign=share-bar
 

"Tipologia linguística da língua de sinais romena e outras línguas de sinais.” - RIBEIRÃO DAS NEVES / MG




Convite:
Em homenagem ao dia da Libras, comemorado em 24 de abril, vamos conhecer um pouco da linguística da Língua de Sinais Francesa, a que deu origem à Língua Brasileira de Sinais. Receberemos o surdo francês, Robert Gavrilescu, Doutorando na Universidade de Paris que nos apresentará a sua pesquisa: "Tipologia linguística da língua de sinais romena e outras línguas de sinais.”
A palestrada ministrada em Língua Francesa de Sinais foi possibilitada pela parceria com a FENEIS-MG, e será interpretada em Libras e em Língua Portuguesa.
Se precisar de outro recurso de acessibilidade, gentileza solicitar por email: debora.duque@ifmg.edu.br
Pedimos a doação de um quilo de alimento não precível, que será destinado a instituições carentes.
Inscrições somente pelo site: doity.com.br/linguisticalsf


https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1556354734463296&set=gm.946471598886870&type=3&theater

Grupo êBA! faz espetáculo com contação de histórias em libras

São Paulo
Formado por três educadoras, o grupo êBA! promove uma série de contação de histórias narradas simultaneamente em voz alta e em libras, para que crianças surdas também possam participar.
Amanda Lioli, Brunna Talita e Li Albano, educadoras do gRUPO êBA!
Amanda Lioli, Brunna Talita e Li Albano, educadoras do gRUPO êBA! - Lais Gouvea/Divulgação
Misturada com brincadeiras, teatro e músicas, a apresentação ainda busca ensinar a linguagem de sinais aos pequenos que não a conhecem.

Entre as histórias está “Pé de Sonho” (2015), lançado pelo grupo, sobre uma menina que tenta descobrir a origem de uma coceira na cabeça.

https://guia.folha.uol.com.br/crianca/2018/03/grupo-eba-faz-espetaculo-com-contacao-de-historias-em-libras.shtml

A VIDA EM LIBRAS – História do Surdo

 

 Quem vê os surdos conversando fluentemente em Libras, estudando em universidades e trabalhando não imagina o árduo percurso que foi para lograr essas conquistas ao longo de séculos. Este episódio mostra o papel de importantes personalidades como Ponce de León, L’Epée e Gallaudet na educação dos surdos, os avanços da superação da oralização à afirmação das línguas de sinais, a criação de centros especializados como o INES e outros detalhes para o empoderamento surdo.

http://tvines.ines.gov.br/?p=18034 

Atriz surda tenta quebrar paradigmas com dois papeis em Hollywood neste ano

Hollywood não é um espaço tão receptivo para as minorias. Os movimentos recentes como o “Oscars So White” deixam isso bem evidente. Mas, quando se trata de atores com deficiências, como auditiva, a situação é ainda pior. É muito raro ver artistas surdos em filme, mas é isso que “Um Lugar Silencioso” propõe.

Millicent Simmonds é uma das estrelas de “Sem Fôlego”, obra de Todd Haynes que estreou este ano
O filme que estreou na última semana conta com a jovem Millicent Simmonds, de 14 anos. Estrelando em seu segundo filme no ano, a atriz tenta quebrar barreiras em Hollywood e mostrou seu talento em dois trabalhos distintos.
 

No filme de terror, ela vive com a família sem nunca falar nada, já que criaturas mortais os coçam pelo som. John Krasinski, protagonista e diretor do filme, exigiu que a atriz que fizesse a personagem também fosse surda e pressionou a produção para que contratasse Millicent.
A atriz, inclusive, já falou em entrevistas querer ajudar outros atores surdos a ter mais visibilidade: “quero que todos saibam que não há problema em aprender a linguagem de sinais”, falou a atriz em entrevista a People.
Seu outro papel de destaque foi em “Sem Fôlego”, do inglês Todd Haynes . Ela era Rose, uma menina que se engaja em uma jornada por Nova York em busca da mãe, uma atriz consagrada vivida por Julianne Moore, que pouco lhe dá atenção.
“Um Lugar Silencioso” inclusive, tem potencial para ser um dos maiores sucessos do ano, seguindo passos muito parecidos com os de “Corra!” em 2017. Esse é o terceiro filme de Krasinski, mas o primeiro do gênero de terror/suspense. Enquanto “Corra!” estreou em Sundance no começo do ano, “Um Lugar Silencioso” fez seu debut no SXSW em janeiro.
Jordan Peele, diretor e escritor de “Corra!”, assim como Krasinski, era mais conhecido pelo seu trabalho em comédias. No Comedy Central, Peele protagonizou uma série ao lado do também comediante  Keegan-Michael Key.
Já Krasinski ganhou fama ao interpretar Jim por 10 temporadas na série “The Office”. Para se desvencilhar da fama na comédia, o ator se envolveu em alguns papeis de ação, como “13 horas” e a série “Jack Ryan”, ainda para estrear.
Com dois longas em seu currículo, um indie e um drama familiar, Krasinski se une a esposa Emily Blunt em um gênero pouco explorado em sua carreira. Nos EUA, o filme dominou as bilheterias em sua estreia e já superou os US$ 50 milhões.
Fonte: Lapada Lapada

http://www.surdosol.com.br/atriz-surda-tenta-quebrar-paradigmas-com-dois-papeis-em-hollywood-neste-ano/

PALESTRA: LITERATURA SURDA - MARINGÁ

Olá Pessoal!!

Dia 19/04/2018 as 19:30 aqui na ASUMAR teremos uma palestra sobre Literatura surda, e quem irá fazer a palestra
é a surda Victoria Pedroni :)

Esperamos vocês!!!


https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1592497467535869&set=a.108201985965432.8554.100003268933852&type=3&theater

Primeiro desenho animado que ensina língua de sinais é produzido em Santa Catarina

O projeto tem como objetivo entreter o público surdo e ao mesmo tempo ensinar LIBRAS para os ouvintes, tendo em mente representatividade e inclusão.

“A realidade das crianças surdas é que elas não têm um entretenimento para que possam simplesmente sentar e aproveitar”, alerta Paulo Henrique Rodrigues, animador e idealizador do desenho. Ele reconhece que atualmente o governo tem prestado mais atenção aos produtos criados através de editais, exigindo a existência da opção de legendas e intérpretes de janela para o público surdo. Entretanto, antes de aprender a ler, crianças mais novas não conseguem acompanhar legendas, ou então devem dividir sua atenção entre as duas coisas: a ação do intérprete de janela e a ação do desenho.
 

Dentro deste cenário, Min e as Mãozinhas é um desenho inteiramente em LIBRAS com o objetivo de ensinar esta que é a segunda língua oficial do Brasil. Com isso, o desenho permite que as crianças surdas simplesmente aproveitem as aventuras da Min, a personagem principal, que é surda, ao mesmo tempo que ensina vocabulário de LIBRAS para o público ouvinte.
“Por ter uma personagem principal surda, as crianças surdas serão representadas por ela e as crianças ouvintes terão contato com a realidade dos surdos, abrindo desde cedo os olhos para como é a vida de mais de 9,7 milhões de brasileiros”,
O desenho segue a história da Min, uma garota surda que se comunica através da língua de sinais, e através do seu dia a dia o público pode ter contato com o cotidiano de uma pessoa surda, e descobrir algumas curiosidades, como por exemplo, como funciona uma campainha para surdos.
Paulo Henrique tem a proposta de mostrar a Língua de Sinais como um idioma que supera as barreiras de comunicação, ao invés de uma língua para superar deficiências pessoais. “O Elefante fala a língua do elefante, o Gato fala a língua do gato, e assim ninguém se entende. Mas LIBRAS é a solução para eles. Com o aprendizado dessa nova língua, eles conseguem se comunicar sem medo e ficar cada vez mais amigos, em uma sociedade mais compreensiva e inclusiva. ”
O projeto está em fase de produção. Terá inicialmente uma temporada de 13 episódios, e futuramente a criação de material didático, para ser utilizado na alfabetização de surdos e ouvintes, visando uma educação básica unificada.
Enquanto isso, o projeto pode ser acompanhado pela internet na página


http://www.surdosol.com.br/primeiro-desenho-animado-que-ensina-lingua-de-sinais-e-produzido-em-santa-catarina/

Filme com Edson Celulari como cego será exibido em Libras e audiodescrição

A Paris Filmes divulgou nessa quinta (12) que o filme Teu Mundo Não Cabe Nos Meus Olhos, com Edson Celulari na pele de um homem cego, será completamente acessível para deficientes nos cinemas brasileiros.

 

Com estreia em 03 de maio, o longa terá exibições com audiodescrição, Libras (Língua Brasileira de Sinais) e LSE (legendas para surdos), para proporcionar uma experiência completa aos deficientes visuais e auditivos.
A comunicação de acessibilidade do filme é desenvolvida pela Iguale, empresa especializada em criação e adaptação de conteúdos para pessoas com algum tipo de deficiência, que, segundo o censo 2010 do IBGE somam cerca de 45 milhões de brasileiros.
Soledad Villamil, Leonardo Machado, Giovana Echeverria, Roberto Birindelli e Carlos Cunha completam o elenco, com direção de Paulo Nascimento (A Oeste do Fim do Mundo).
Vitório (Celulari), cego de nascença, é dono de uma pizzaria herdada de seu pai no tradicional bairro do Bixiga, em São Paulo. Vivendo uma vida feliz com a mulher Clarice (Villamil), a filha Alícia (Echeverria) e seu assistente Cleomar (Machado), Vitório está adaptado à sua cegueira. Após um infeliz incidente, seguido pela descoberta de que existe a possibilidade de enxergar, Vitório inicia um conflito consigo mesmo – e vai precisar tomar uma grande decisão, que influenciará todos à sua volta.
Fonte: Observatório do Cinema

http://www.surdosol.com.br/filme-com-edson-celulari-como-cego-sera-exibido-em-libras-e-audiodescricao/

TURMA LETRAS LIBRAS - IFNMG - POLO ITAMARANDIBA

Minha turma, com novo tutor.
Bem-vindo Nivaldo.
O tempo passa ...
rumo ao 3º períodooooo

MENINA SURDA QUER SER BAILARINA

Os surdos têm voz | Leonardo Castilho |

TEM UM PADRÃO

STAND-UP COMEDY COM TALES DOUGLAS - BELO HORIZONTE / MG



Olaaaaaá, convido vocês para assistir meu show em Libras (Língua Brasileira de Sinais). Mas vai ter TILS (tradutor Intérprete de Língua de Sinais)
Não vai chorar se perder a oportunidade.
sentindo-se festivo.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1780572935315110&set=a.1450766221629118.1073741834.100000872614350&type=3&theater

Seminário Temático - CAS MONTES CLAROS / MG



O CAS MONTES CLAROS em comemoração a Educação dos Surdos e ao reconhecimento da LIBRAS como forma de comunicação e expressão, através Lei 10.436 de 24 de abril de 2002, realizará Seminário Temático.
Dia 27 de abril 2018
Horário:19 horas
Local: Auditório da E. E. Professor Plínio Ribeiro (Escola Normal)
Declaração de participação.
Venha participar, a sua presença faz toda a diferença!


https://www.facebook.com/margarethbarcelosguimaraesvel/videos/2073514429330860/UzpfSTE2NzkwMDU1NDQ6MTAyMDk2MTEwODU3MDg4Mjg/

Congressos TILSP e Linguística de Língua de Sinais, V Encuentro Latino Americano de Sordos y Interpretes de Lengua de Señas - FLORIANÓPOLIS / SC



Ainda dá tempo para você enviar o seu trabalho!!! 
Congressos TILSP e Linguística de Língua de Sinais, V Encuentro Latino Americano de Sordos y Interpretes de Lengua de Señas  

http://www.congressotils.cce.ufsc.br/

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10216195019058116&set=a.1784500262225.101395.1531068089&type=3&theater

Vem bater papo e tomar chimarrão com pipoca na SSCS!!! - CAXIAS DO SUL



Download MP4 - Vem bater papo e tomar chimarrão com... - Sociedade dos Surdos de Caxias do Sul

Vem bater papo e tomar chimarrão com pipoca na SSCS!!!
 
Vem bater papo e tomar chimarrão com pipoca na SSCS!!!
Quando? 21 de abril de 2018
A partir das 14h

Traga seus amig@s e seu chimarrão!!!
 
https://www.facebook.com/sscs.oficial/videos/2155133861193396/UzpfSTE2NzkwMDU1NDQ6MTAyMDk2MTEzNDk1MTU0MjM/

1o. ENaPTILSP - Encontro Nacional de Professores de Tradução e Interpretação de Libras e Língua Portuguesa das Universidades Federais - SÃO CARLOS / SÃO PAULO

1o. ENaPTILSP - Encontro Nacional de Professores de Tradução e Interpretação de Libras e Língua Portuguesa das Universidades Federais

Inscrições limitadas:
https://enaptilsp1.faiufscar.com/


 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=224413551442769&set=a.103006690250123.1073741826.100016223765131&type=3&theater

CORES COM SINAL EM LIBRAS PARA PAREDE DE SALA DE AULA






 
https://ildetefips2.blogspot.com.br/2016/06/cores-com-sinal-em-libras-para-parede.html

EDITAL DE EXAME DE SELEÇÃO PARA LETRAS/LIBRAS - UFRN 2018.2



Colóquio de Direitos Humanos - DIA 23/04/2018 - MONTES CLAROS / MG


TIRINHAS E LIBRAS





Intérprete de Libras no julgamento de Lula diz que ficou assustada com repercussão na internet

Felipe Laurence* - O Estado de S.Paulo
Apesar disso, Dânnia Vasconcellos revela que os memes e piadas trouxeram boa visibilidade aos surdos
A intérprete de Libras Dânnia Vasconcellos foi uma das pessoas que atuaram durante o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
A intérprete de Libras Dânnia Vasconcellos foi uma das pessoas que atuaram durante o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Foto: Foto cedida por Dânnia Vasconcellos
Quem assistiu à sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) que julgou o habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na última quarta-feira, 4, percebeu um detalhe interessante, além do importante tema sendo tratado na audiência: os três intérpretes de Libras trabalhando incessantemente no canto direito da tela durante as quase 12 horas que durou o julgamento.

Não demorou muito para vários memes e piadas envolvendo os intérpretes do STF surgirem nas redes sociais. Dânnia Vasconcellos e seus colegas de trabalho relatam que foi um dia intenso e de muita pressão. "Foi muito complicado porque é extremamente cansativo. Primeiro porque a gente já faz uma tradução de uma língua para outra, além de ter sido um tema que trouxe visibilidade para a gente já que toda a comunidade surda estava de olho querendo acompanhar o que estava acontecendo, então foi tudo muito tenso", disse a intérprete em entrevista para o E+.
"A nossa profissão exige um preparo psicológico muito forte porque a gente nunca sabe o que nos espera durante uma sessão de tradução, de manhã estava traduzindo uma aula de linguística na Universidade de Brasília (UnB)e à tarde fui para o STF. Então, a gente precisa de calma para não haver influência no discurso que estamos transmitindo", diz Dânnia, que foi para a profissão após aprender a Língua Brasileira de Sinais (Libras) para ajudar uma tia, que é surda.
Desde outubro de 2017, o STF começou a disponibilizar tradução em sinais pela TV Justiça nas transmissões das sessões plenárias do tribunal, que acontecem às quartas e quintas-feiras "O STF realmente é um lugar diferente porque ele é muito específico por causa dos termos jurídicos. Como Libras é uma língua que só foi reconhecida em 2002, é tudo muito novo e não há sinais para todas as palavras da língua portuguesa. Então, o que a gente faz é ver a pauta do dia das sessões pelo site do tribunal e vamos atrás do vocabulário", explica Dânnia, ressaltando que o tribunal não dá assistência nessa pesquisa dos intérpretes e que o estudo dos temas e das pautas fica por conta deles.
Felipe Oliver, tradutor e intérprete de Libras do Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines) e tradutor juramentado no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro complementa dizendo que, em situações jurídicas, o importante é ter acesso prévio ao que será discutido e conversar com as partes do processo. "A tradução é feita sempre por interpretação, então quando o tribunal vem me consultar para uma audiência é sempre bom conversar com as partes para entender o assunto e como transmitir para o surdo uma melhor interpretação daquilo que está sendo falado", conta. Ele ressalta que como não há sinais específicos para os termos jurídicos e em latim, vai de cada intérprete usar da sua experiência para passar aquilo do melhor jeito ao surdo.
"O importante é saber que Libras não é a língua portuguesa feita com as mãos, então a gente não interpreta cada letra com um sinal e sim dentro de um contexto. Nós estudamos as palavras chave no julgamento do HC do Lula, assistimos matéria, lemos entrevistas para entender o vocabulário e o tema para passar ao surdo a interpretação mais fiel ao discurso dos ministros por conta da importância da audiência", conta a intérprete.
Sessões longas. No dia do julgamento do HC a produção da TV Justiça já havia avisado aos intérpretes que a sessão, provavelmente, se arrastaria pela noite, o que ajudou na preparação física. "As pessoas pensam que é simples, mas a gente fica em pé no estúdio, com iluminação forte na cara, ar condicionado, além do cansaço físico e mental que são naturais da profissão. Fizemos muito trabalho de alongamento, ficamos sempre com água e alimentos à nossa disposição e, quando trocávamos de turno, sempre tentávamos relaxar para manter o foco", falou Dânnia.
Felipe diz que algumas conquistas da categoria, como o revezamento dos profissionais de 20 em 20 minutos garantiu uma melhor atuação dos intérpretes de Libras. "Diferente das línguas orais, o intérprete de Libras atua com todo o seu corpo, então o revezamento é importante para evitar um desgaste físico e mental dos intérpretes, além de lesões comuns à profissão como lesão por esforço repetitivo nas mãos, hérnias de disco por ficar muito tempo em pé e inflamações ou tendinite nos ombros pelos movimentos em ritmo intenso", explica.
Memes. Sobre a repercussão na internet com os memes e piadas, Dânnia conta que num primeiro momento ficou assustada. "Você fala pra si mesma 'meu Deus, o que o pessoal tá falando de mim e do meu trabalho?', mas depois vi que foi muito interessante porque trouxe uma visibilidade boa para nós e para a comunidade surda. Se tem um intérprete ali é porque existe um público para isso e quando as pessoas percebem isso também enxergam que o surdo existe e que ele não pode ficar à margem da sociedade", comenta. "A aceitação pelo público surdo da tradução nas sessões do STF tem sido extremamente boa, sempre que estou na UnB os alunos vêm falar comigo que finalmente podem acompanhar o que acontece no Judiciário, então toda essa repercussão é sensacional", comemorou a intérprete.
Veja abaixo alguns dos memes e piadas que fizeram sucesso nas redes sociais durante o julgamento.


 
 
Uma boa notícia! A moça que fez a tradução em Libras do julgamento do Habeas Corpus do Lula no STF já está em casa e passa bem!
http://emais.estadao.com.br/noticias/comportamento,interprete-de-libras-no-julgamento-de-lula-diz-que-ficou-assustada-com-repercussao-na-internet,70002262429