RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Feliz Ano Novo! Tema de fim de ano em LIBRAS

TE VIVO em LIBRAS

MONALISA X LIBRAS


Revista Libras e Saúde

O projeto prevê o oferecimento de palestras, cursos e oficinas com foco na acessibilidade dos surdos à saúde.
 
 

Primeiros estudantes surdos a se formarem em Engenharia de Produção - Em MG, cidade de Divinópolis!

E-mail Imprimir
A FUNEDI/UEMG é uma instituição de ensino superior que, em 2014, completa 50 anos de história. Com número expressivo de profissionais nela formados, em atuação nas áreas de saúde, educação, meio ambiente e cultura, a instituição se destaca por sua inserção regional. Com envolvimento nas questões sociais e ambientais, desenvolve e participa de vários projetos de ensino, pesquisa e extensão em Divinópolis e nos municípios da região centro-oeste de Minas Gerais.

A colação de grau no curso de Engenharia de Produção, em janeiro de 2014, dos primeiros estudantes surdos da região expressa bem o compromisso da FUNEDI com a questão da inclusão social e a forma como a instituição lida com o tema. Os irmãos Felipe de Oliveira e Mariana Ferreira nasceram surdos. Concluíram o Ensino Fundamental na rede pública, prestaram vestibular e foram inseridos em turma regular, com auxílio de intérprete em LIBRAS especialmente contratada para atendê-los. Estão agora concluindo seu curso após cinco anos de estudos, mostrando-se bastante incluídos socialmente. Para Felipe, “não acho que sou melhor do que o outro, dentro da sociedade é possível uma igualdade; estudei muito, se o outro não estudou, preciso incentivar, fazer com que ele estude para se desenvolver em sua vida”. A intérprete Gracile Kerlen, que acompanhou o desenvolvimento dos estudantes, nos anos finais do ensino fundamental, antes até de chegarem à educação superior, destaca a importância da participação da família, “que incentivou muito a educação na vida dos dois”.

Tão importante quanto ter proporcionado a inclusão de alunos surdos foram as iniciativas tomadas pela FUNEDI em função do aprendizado advindo da experiência de ter que buscar novas formas de comunicação com os estudantes: além de contratar intérpretes, a instituição procurou efetivamente implantar políticas institucionais de acessibilidade. Promoveu o Curso de Libras para os funcionários administrativos, de modo a permitir a plena comunicação com surdos em todos os setores da instituição. Criou depois o Curso de Extensão em LIBRAS, aberto à população, e desenvolve atualmente, com financiamento do PROUEMG, o Curso de Extensão à Distância em LIBRAS, para o qual recebeu mais de cinco mil inscrições vindas das diversas regiões do Brasil e até do exterior.

Hoje a instituição conta com seis intérpretes de língua de sinais contratados para o acompanhamento dos alunos matriculados, desde o início do curso, até sua conclusão. Para a estudante Mariana Ferreira, a inclusão está relacionada a múltiplos aspectos: “a mulher também precisa estudar, embora no curso de Engenharia de Produção geralmente existam menos mulheres; se comparadas ao número de homens em sala de aula; todas são igualmente profissionais”. O exemplo de Mariana e Felipe ganhou destaque e repercussão na imprensa, e inspira outras pessoas com surdez a buscarem a educação superior, inclusive no próprio curso de Engenharia de Produção da FUNEDI/UEMG, em que, no ano 2013, já ingressaram mais dois estudantes surdos.


 http://www.funedi.edu.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2199&catid=70&Itemid=466

MÃOS X LIBRAS


FELIZ ANO NOVO


Surda oralizada e pedagoga


‘Oi, Paula! Sou leitora assídua do Crônicas, gosto e me identifico com o que você escreve, sou deficiente auditiva, severa/profunda (bilateral) desde os meus 10 anos de idade, a causa certa até hoje não se sabe, supõe-se que tenha sido em decorrência da rubéola. Tenho 50 anos, sou de Sampa, casada e mãe de dois garotos. Meu marido e meus filhos são ouvintes e são maravilhosos, não temos nenhum “grilo” com relação a minha deficiência. Sempre estudei em escola normal, sou formada em Pedagogia e trabalho em uma biblioteca escolar. Claro, que enfrentei e ainda enfrento muitas dificuldades, e são elas que me dão força pra seguir em frente e não desistir, NUNCA! Fazendo um retrospecto de tudo que já vivi, vejo que há muita desinformação das pessoas com relação aos deficientes, por isto, acho fundamental que falemos de nós, que mostremos as pessoas que nem todo o surdo é mudo, que nem todo surdo fala em libras, que existem surdos oralizados, etc … etc, enfim que se desmitifiquem velhos conceitos e abra a mente das pessoas para a diversidade.
Aos 10 anos eu perdi a minha audição, mas só aos 19 anos, meu pai conseguiu comprar um aparelho pra mim. Na década de 80 os AASI eram caríssimos, e não me esqueço do dia que coloquei o meu aparelho no ouvido, neste dia tinha uma criança chorando na sala ao lado da minha, e como foi bom ouvir aquele choro, parecia que aquela criança estava chorando no meu colo, saí de lá deslumbrada com todos os sons e barulhos que ouvia.  Daí em diante, nunca mais me separei dos meus aparelhos, só tiro pra tomar banho e dormir, EU AMO OUVIR e todas as vezes que precisei ficar sem o AASI por algum motivo, foi um sofrimento me separar deles. Devido o grau da minha deficiência, o ideal era que eu usasse um AASI em cada ouvido, mas a grana sempre foi curta e por um bom tempo só usei no ouvido direito, somente a partir de 2008 consegui adquirir outro que passei a usar no ouvido esquerdo. Durante muitos anos minha perda foi estável e os AASI’s eram suficientes para uma boa qualidade de vida, mas de um ano pra cá, notei que a minha audição já não era mais a mesma e comecei a ter dificuldades para ouvir e compreender, e ao fazer uma audiometria nova, veio à confirmação do que eu já esperava: os AASI’s já não me servem mais! Partido deste diagnóstico, agora estou fazendo uma bateria de exames para ver se posso fazer o implante coclear. Estou muito confiante, eu quero e vou fazer. Quero viver e morrer ouvindo todos os sons que a vida pode me oferecer quero ser uma pessoa ativa no mundo, não quero que a SURDEZ me distancie das pessoas e nem do mundo.
Sou uma grande admiradora da sua CORAGEM e FORÇA, tenho certeza que tudo já deu certo com o seu implante e que à partir do dia 11/11 um novo mundo sonoro se abrirá pra você, com muitas redescobertas e novas descobertas. Acredito que tudo nesta vida não é por acaso, e tudo tem que acontecer exatamente na hora que tem que ser. Quando eu descobri a minha surdez, não existia a internet, mas hoje graças a ela não existe barreiras para a informação e a comunicação ficou muito mais fácil. Através da net, conheci você, a Lak que disponibilizam informações sobre o IC e que esclarecem quem tem interesse em fazê-lo. Pra mim, este é o grande “barato” da vida, compartilhar experiências com as outras pessoas, tudo que doamos aos outros volta a nós multiplicados, é um ciclo. Ainda não li o seu livro, mas ele já está na minha lista de prioridades IMPERDÍVEIS! Sou GRATA ao UNIVERSO por tudo que aprendi e aprendo contigo, garota! Você é uma inspiração, desejo-te toda a sorte e felicidade do mundo, juntos somos fortes e tem muita gente torcendo por você.
Beijos, AnaLú

 http://cronicasdasurdez.com/surda-oralizada-e-pedagoga/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+CronicasSurdez+%28Cr%C3%B4nicas+da+Surdez%29

Deficiência auditiva: da depressão à aceitação

nc
“Oi Paula! Já faz uns 6 meses desde que descobri seu blog, foi em uma fase de depressão profunda minha em que eu passava tempos na internet pesquisando sobre esse mundo de deficientes auditivos e por não ter nenhum amigo com DA, pela curiosidade em saber se alguém mais sofria com situações constrangedoras, humilhações e afins, assim como eu.
Comecei a sentir dificuldade para ouvir quando eu tinha uns 15 anos (hoje tenho 25), eu sempre aumentava o volume da tv, pedia para as pessoas repetirem o que falavam e aí então falei pra minha mãe que queria ir ao médico, porque eu não estava ouvindo bem. Fui no otorrino, fiz audiometria e então descobri que tinha perda bilateral progressiva. Quando ouvimos que minha opção era aparelho auditivo ficamos meio em choque, eu não queria isso, nem minha mãe, a gente queria uma cirurgia, algo que “resolvesse”, entende?! Então, seguimos para outros otorrinos e outros exames, não tinha jeito, só ouvíamos dos médicos que minha opção era aparelho, como eu não tinha outra opção, aceitei e tive meu primeiro aparelho, era um modelo intracanal, resolvi que ia tentar usar em um ouvido só, pra tentar me adaptar e também pelo custo.
A primeira vez que usei enchi os olhos de lágrimas, pois eu conseguia ouvir até os passos das pessoas na rua, porém foi só o começo, logo percebi que todos os sons eram amplificados e não só o que eu tinha dificuldade em ouvir, tenho uma queda grande nos agudos, desenho animado nem pensar, não entendo nada, com ou sem aparelho, só consigo ver mesmo com legenda. Então, eu estava na sala de aula e eu ouvia a professora falar mais alto, mas também ouvia todo burburinho dos colegas da sala e no fim acabava não entendendo ninguém, aí eu tirava o aparelho. Foi uns meses de tentativas em me adaptar e não conseguir nada, desisti, me formei no ensino médio sem aparelhos mesmo, em 2005. Aí, em 2007 eu comecei a fazer faculdade, não conhecia ninguém e como tenho perda progressiva já ouvia bem menos, fiz pouco mais de 1 mês de faculdade e desisti. Nesse tempo passei por muitas frustrações e situações constrangedoras, eu não falava que tinha DA, tinha vergonha e boiava quando professores faziam perguntas para mim durante a aula, ficava um pimentão de vermelha por não ter entendido, sério. Fiz minhas malas e voltei pra casa, foi quando entrei em depressão. 
Na segunda metade de 2008 ergui a cabeça e resolvi tentar de novo, mas aí falei pra minha mãe que eu PRECISAVA de um aparelho auditivo que eu conseguisse me adaptar ou nada feito. Minha mãe me deu o maior apoio, eu ja tinha sofrido bastante até aí e entre pesquisas e indicações de pessoas, fomos pra Porto Alegre pra então consultar com um otorrino mais bem conceituado. Além da audiometria fiz vários outros exames e o resultado foi perda auditiva sensorioneural moderada bilateral e de novo, cirurgia nenhuma era opção, era aparelhos e ponto final.
Escolhi um dos melhores aparelhos disponíveis, que não tapa a orelha (porque a sensação é horrível, né?!), é o Pure, da Siemens, escolhi na cor pérola, gostei do design, achei discreto e desta vez comprei para os dois ouvidos, pois o médico me convenceu que eu precisava mesmo era usar nos dois. Esse aparelho, muito mais moderno que o meu antigo tinha inúmeras possibilidades de ajustes, e a ideia era que eu sempre voltasse no consultório para ajustar conforme sentisse necessidade, infelizmente moro longe de POA e não pude voltar a ajustar com a mesma fono, da qual eu tinha gostado.
E então foi, comecei outra faculdade, com o aparelho auditivo novo (óculos e aparelho nos dentes, haha) e aos poucos fui perdendo a vergonha de dizer aos amigos que tinha DA, tinha decidido que tinha que enfrentar isso, quanto aos professores, eu achava que seria inútil falar, pois não teria acessibilidade da mesma forma na faculdade, nos últimos semestres que cursei eu falei pra três professores e como eu já esperava, não mudou nada. Minha facul era carregada de trabalhos e apresentações e pior, durante as apresentações tinha perguntas dos professores (e colegas), eu ia pra casa com a cabeça estourando, pois fazia o maior esforço do mundo para conseguir entender as perguntas e aí então, eu percebia que o aparelho não me ajudava 100%, que eu nunca conseguiria me igualar aos colegas na audição. Eu sempre ficava muito tensa em textos ditados pelos professores, em chamadas, quando a galera da sala tava no maior burburinho, eu tinha vontade de levantar e gritar “calem a boca, que eu quero ouvir a professora”, também quando colegas sentados atrás de mim me chamavam e aí ficavam chamando até alguém que estava perto de mim me cutucar e me avisar que o fulano ta chamando. E aí o que eles fazem? Largam aquele “tu ta surda?”, “Meu Deus, te chamei várias vezes” e caem na gargalhada, te deixando super sem jeito na frente de todos, eu ainda não aprendi a rir quando me sinto constrangida. Fui até minha paciência esgotar, no 7° período da faculdade foi quando me dei conta que estava na hora de procurar um estágio, que estava todo mundo se mexendo e eu ficando parada e aí a ideia do que eu ia enfrentar dali pra frente juntou com mais algumas coisas que eu não gostava no curso, acabei desistindo mais uma vez.
Falando um pouco das situações que já passei, em grupo de amigos eu já desisti de tentar entender tudo, fico na minha, sou a pessoa que não fala ou fala quase nada, que não ri com todos da piada que alguém contou e aí sempre perguntam “por que tu ta quieta?”, “ei, tu não fala?”, “mas conversa com a gente guria” e é por essas e outras que muitas vezes recuso os convites e prefiro ficar em casa. Um dia, conversei com uma amiga sobre meu problema e aí entramos na parte de relacionamentos e ela disse “deve ser ruim, quando o cara ta contigo deitado no escuro e fala alguma coisa bonitinha, de sentimento e você nem entende o que ele falou“, e é mesmo, é horrível, tanto porque as vezes a pessoa repete 3 vezes no escuro e você continua não entendendo, porque não adianta olhar pra ela. Quanto ao interfone, eu tenho uma cachorrinha, quando eu morava sozinha era graças a ela que eu sabia que alguém tinha tocado, pois ela latia e na verdade até hoje, mesmo morando com minha mãe, é ela que me “avisa” que estão tocando o interfone. TV aberta eu não assisto, nada mesmo e na tv a cabo assisto o que tiver legenda disponível, cada vez mais estão dublando os programas e não dando opção de legenda, é triste! Filmes e séries que é o que mais gosto de ver, eu vejo online com legenda, vídeos do youtube em português eu geralmente tenho que por fones pra entender. Palestras, cursos de inglês é coisa que eu nem tento mais. Já cheguei a pensar em aprender Libras e desistir de tentar ouvir.
Bom, fugi da minha saga que eu estava contando, mas então, hoje eu curso faculdade (pela 3° vez) na Unopar que disponibiliza ensino a distância, apesar de muitos criticarem, eu estou achando tranquilo pra mim, porque até as vídeo aulas que passam nos dias presenciais eu posso assistir depois em casa pelo site da faculdade e aí, eu coloco meus fones de ouvido e consigo entender. Ainda sofro com apresentação de trabalho, mas é só uma por semestre, então não posso comparar com o que já passei, dá pra levar numa boa. Hoje em dia, eu uso meu aparelho quando sinto necessidade, pois ainda não me adaptei totalmente a ele, isso me deixa muito triste. Ahh e também uso só em um ouvido, pois não consigo usar nos dois, me sinto perdida em meio aos sons e as vezes parece que entendo melhor até sem, tipo, quando a pessoa está falando perto de mim. O mercado de trabalho vai ser um desafio, eu ainda não sei como vou lidar, já acho que vou torrar a paciência de todos meus colegas de trabalho por faze-los repetir mil vezes as coisas, mas a gente vai tentando né?! Um dia, eu espero achar um aparelho que NO MÍNIMO, me faça sentir confortável num grupo de amigos ou palestra, por exemplo, mas no momento não tenho grana pra investir e pelo que vi falarem aqui, o aparelho que o SUS disponibiliza é muito ruim, o que imagino, muito inferior ao que eu já possuo.
Desculpa pelo textão gente, acho que precisava desabafar. E por fim, quero dizer que esse blog me faz sentir em um lugar amigável, quando tiro um tempinho para ler os relatos de vocês acabo me identificando e aprendendo muito inclusive, principalmente sobre o mercado de trabalho que é onde me sinto mais perdida. Beijo Paula! Obrigada pelo espaço!
Natalia”

 http://cronicasdasurdez.com/deficiencia-auditiva-da-depressao-a-aceitacao/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+CronicasSurdez+%28Cr%C3%B4nicas+da+Surdez%29

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

A Unesco lançou a coleção “Por uma cultura de direitos humanos”.

A Unesco lançou a coleção “Por uma cultura de direitos humanos”, formada por 12 volumes que trazem informações sobre direitos humanos como educação, saúde, direito à moradia adequada, à liberdade e segurança.

O melhor de tudo? Estão todos disponíveis para download ‪#‎gratuito‬: http://abr.ai/ITHt3A
 

Vídeo Projeto Arteiros (com dançarinos surdocegos)

MÃOTEMÁTICA - um curso inovador de matemática cuja ferramenta de cálculo são as mãos.BREVE EM MONTES CLAROS

O desafio da matemática nas mãos dos Surdos e de quem trabalha ou convive com ele! A apropriação da linguagem matemática em Libras contextualiza!
MÃOTEMÁTICA - um curso inovador de matemática cuja ferramenta de cálculo são as mãos. Com os Professores Cris Mãotemática e Rodrigo Girardi, já percorreu o Brasil inteiro, agora está perto de chegar a Montes Claros!

Excelente como estratégia de ensino, aprendizagem e intermediação da aprendizagem. Ideal para surdos, intérpretes de Libras, professores e familiares de surdos. Não é necessário ser fluente em Libras.

<<<<<>>>>> <<<<<>>>>>
Foto de Elana Vaz. Foto de Elana Vaz.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=609213679115282&set=pcb.659794084072320&type=1&theater

A Linguagem do Amor (Legendado em Português - BR)

SINAL DE TEATRO

Este é sinal de TEATRO. Com Movimentos para os lados.
Sinalizados pela Rafaella Sessenta.




https://www.facebook.com/photo.php?fbid=572209562858597&set=a.270929429653280.66475.191593770920180&type=1&theater

História em Libras: Princesas soltam pum?

CURSO DE SINAIS INTERNACIONAIS

APRESENTAÇÃO  
 

A ASNAT – Associação de Surdos de Natal, instituição mantida pelo Grupo de Estudos e Educação em Libras - GEEL realizará o CURSO DE FORMAÇÃO 2014 em Natal/RN em parceria com a Feneis - Federação Nacional da Educação e Integração dos Surdos
 
O Evento contará com a participação dos seguintes palestrantes:    


 
Será uma excelente oportunidade de grandes trocas de experiências e integração educacional e cultural entre surdos e ouvintes.
 
Seja bem-vindo (a)!
Coordenação no Curso,

Juliana Mateus
Josioneide Nunes

Abraços Sinalizados,


 
Professores Especialistas :  

Curso de Metodologia de Ensino em Libras para L1

Professora Especialista: Simone Patrícia Soares de Souza
Formado em Letras Libras pela UFSC
Cursada Efetiva: Prefeitura Municipal do Natal - SME
Diretor Formação de Educacional Adjunta da ASNAT

VAGAS LIMITADAS
SÃO 30 VAGAS PARA SEREM PRENCHIDAS E PAGAS ATÉ 18 DE JANIERO DE 2014
  1. As inscrições e pagamentos serão iniciadas no dia 16 de dezembro de 2013 e encerrará no dia 18 de Janeiro de 2014 do respectivo ano.
  2. Encaminhe e-mail juntamente com o comprovante de pagamento para o e-mail curso.formacao2014deaf@gmail.com
  3. Site inscrição
  4. Sua inscrição será efetivada somente mediante envio do comprovante acima citado “2”.
  5. São 30 vagas, fique atento às condições para as inscrições:
  6. As inscrições e pagamento estarão abertos até 18/01 caso as vagas remanescentes sejam preenchidas, as inscrições estarão encerradas.
  7. Certificados – Carga Horária 60h
 

16/12 até 18/01
Estudante Atual
R$ 60,00
Profissional
R$ 100,00

Curso de Sinais Internacionais - SI


Professor. Rodrigo Nogueira Machado - UFC
Formado em Letras Libras pela UFSC
2ª Diretor Segunda Vice Presidente da FENEIS 

VAGAS LIMITADAS
SÃO 30 VAGAS PARA SEREM PRENCHIDAS E PAGAS ATÉ 31 DE JANEIRO DE 2014
  1. As inscrições e pagamentos serão iniciadas no dia 16 de dezembro e encerrará no dia 31 de Janeiro do respectivo ano.
  2. Encaminhe e-mail juntamente com o comprovante de pagamento para o e-mail curso.formacao2014deaf@gmail.com
  3. Site inscrição
  4. Sua inscrição será efetivada somente mediante envio do comprovante acima citado “2”.
  5. São 30 vagas, fique atento às condições para as inscrições:
  6. As inscrições e pagamento estarão abertos até 31/01 caso as vagas remanescentes sejam preenchidas, as inscrições estarão encerradas.
  7. Certificados – Carga Horária 40h
 

16/12 até 31/01
Estudante Atual
R$ 60,00
Profissional
R$ 100,00

Curso ASL

Professora Mestrada: Caroline Resende - UFPB
Formado em Letras Libras pela UFSC

VAGAS LIMITADAS
SÃO 30 VAGAS PARA SEREM PRENCHIDAS E PAGAS ATÉ 09 DE MARÇO DE 2014
  1. As inscrições e pagamentos serão iniciadas no dia 17 de Fevereiro de 2013 e encerrará no dia 09 de Março de 2014 do respectivo ano.
  2. Encaminhe e-mail juntamente com o comprovante de pagamento para o e-mail curso.formacao2014deaf@gmail.com
  3. Site inscrição
  4. Sua inscrição será efetivada somente mediante envio do comprovante acima citado “2”.
  5. São 30 vagas, fique atento às condições para as inscrições:
  6. As inscrições e pagamento estarão abertos até 09/03 caso as vagas remanescentes sejam preenchidas, as inscrições estarão encerradas.
  7. Certificados – Carga Horária 40h
 

17/02 até 09/03
Estudante Atual
R$ 60,00
Profissional
R$ 100,00

DEPOSITO
CEF – CAIXA ECONOMIA FEDERAL
ASSOCIAÇÃO DE SURDOS DE NATAL - ASNAT
Agencia 0033
OP. 003
Conta Corrente: 0001994-6 
 
 http://www.asnat.org.br/oficina.php

Vestibular da UFSM - COM ACESSIBILIDADE PARA SURDOS



https://www.facebook.com/photo.php?fbid=535408483241066&set=a.190518411063410.42043.100003157577570&type=1&theater

CURSO BÁSICO DE LIBRAS! Intensivo de VERÃO!

50 horas - 6 semanas de aula!
Faça já sua inscrição!
celesrj.feneis@gmail.com - Entre em contato para mais informações!



Cartão de Natal Grupo ICTS - 2013

Poesia de Natal - Vinicius de Moraes Com LIBRAS

CHAVES EM "EU TE AMO"

Até o chaves entrou na onda.



 Chaves Está Dizendo... - I Love You ( Eu Amo Vocês)


Nelson Mandela memorial interpreter - KKKKKKKKKK

ENTREOUVIDOS EM LÍNGUA DE SINAIS - KKKKKKKKKK




segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Prefeitura recebe equipamentos para a implantação da Central de Intérpretes de Libras

A solenidade acontece nesta terça-feira (12/11) na Barra do Ceará
Intérprete de libras durante o Academia Enem
Os intérpretes vão atuar em eventos e atividades promovidas pela Prefeitura, a exemplo do Academia Enem (Foto: Kaio Machado)
A Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência (SNPD) e o Governo do Estado repassam à Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos, os equipamentos para a implantação da Central de Intérpretes de Libras nesta terça-feira (12/11) na Barra do Ceará.
A proposta da Central é garantir o atendimento de qualidade às pessoas com deficiência auditiva, facilitando e viabilizando o acesso aos serviços públicos e outras informações. Também intenciona ampliar a comunicação e a interação entre ouvintes e surdos com serviços de tradução e interpretação.
Os intérpretes vão atuar em eventos e atividades promovidas pela Prefeitura e em casos particulares de pessoas com deficiência auditiva que necessitem de acompanhamento para atendimento médico, jurídico, entrevistas de trabalho, por exemplo. São três intérpretes, um instrutor e um coordenador que integram a equipe da Central de Intérpretes de Libras. Ainda haverá um veículo exclusivo para deslocamento dos profissionais e três computadores com webcam para atendimento online.
A solenidade contará com a presença do secretário nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Antônio José; da representante da Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para Idosos e PcD, Isabel Pontes; do secretário municipal de Cidadania e Direitos Humanos, Karlo Kardozo; e do coordenador de Pessoas com Deficiência da SCDH, Thauzer Fonteles.
Serviço
Dia: 12/11 (terça-feira)
Horário: 14h
Local: Centro de Profissionalização Inclusiva (Av. Presidente Kennedy, 128, Planalto das Goiabeiras – Barra do Ceará)
*Atualizado dia 12/11/2013, às 10h40.
 
 http://www.fortaleza.ce.gov.br/noticias/servico/prefeitura-recebe-equipamentos-para-implantacao-da-central-de-interpretes-de-libras

Garota de Ipanema em LIBRAS

Vinheta de FIM DE ANO da GLOBO em LIBRAS

Escola envolve família de alunos no ensino de Libras -

A MAIORIA DOS SURDOS NÃO CONSEGUEM SE COMUNICAR COM SUA PRÓPRIA FAMÍLIA


Sobre o falso "intérprete" no velório do Nelson Mandela - PIADA KKKKKKKKKK


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

O SILÊNCIO NÃO É MUDO


intérprete "impostor" diz que sofre de esquizofrenia

Thamsanqa Dyantyi negou que seja um impostor e disse que sofreu um ataque de esquizofrenia durante o evento; mais tarde ele disse que estava satisfeito com sua performance

Thamsanqa Dyantyi disse que sofreu um ataque de esquizofrenia durante o funeral Foto: AP
Thamsanqa Dyantyi disse que sofreu um ataque de esquizofrenia durante o funeral
Foto: AP
O intérprete de linguagem de sinais acusado de ser um impostor disse que sofreu de um episódio de esquizofrenia durante a cerimônia de despedida de Nelson Mandela, realizada na última terça-feira em Johannesburgo, informa a rede de notícias BBC. 
Thamsanqa Dyantyi, 34 anos, disse à imprensa sul-africana que "começou a ouvir vozes" e a ter alucinações durante o evento e perdeu a concentração. "Não havia nada que eu pudesse fazer. Eu estava sozinho em uma situação muito perigosa", disse o homem ao jornal The Star, de Johannesburgo. "Eu tentei me controlar e não mostrar ao mundo o que estava acontecendo. Eu sinto muito. É a situação em que eu me encontrava", acrescentou. 
Dyantyi disse que trabalha para uma empresa chamada SA Interpreters. 
No entanto, em uma entrevista para a emissora Talk Radio 703 nesta manhã, disse que estava "absolutamente" satisfeito com sua performance no evento e que já havia trabalhado em muitas outras cerimônias importantes anteriormente. 
Na rádio, ele não negou a informação de que sofre de esquizofrenia, mas disse que se sente desconfortável em falar sobre o assunto e preferiu focar na questão de que teria interpretado errado. 
A interpretação de Dyantyi na cerimônia de Mandela causou polêmica ao redor do mundo. Nas redes sociais ele foi acusado de estar interpretando equivocadamente e fazer sinais sem qualquer sentido. Na quarta-feira, uma organização de surdos da África do Sul o acusou de ser um impostor.

http://noticias.terra.com.br/mundo/africa/nelson-mandela/mandela-interprete-impostor-diz-que-sofre-de-esquizofrenia,4bee401d0bfd2410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html?ECID=BR_RedeSociais_Facebook_0_Noticia

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Rybená Acessibilidade

QUE SINAL É ESTE?


MODELAR - ENFEITE DE NATAL


Vamos modelar? O APRENDER dá a dica...
Com argila modele a mão, deixe secar e depois pinte formando um Papai Noel! Fica uma graça!



https://www.facebook.com/photo.php?fbid=614640018596022&set=a.176904135702948.44500.172260046167357&type=1&theater

DIA 10 DE DEZEMBRO - DIA DA DECLARAÇÃO DOS DIREITOS IGUAIS NA DIFERENÇA


Intérprete de sinais usado em ato para Mandela era falso, diz federação


11/12/2013 10h22 - Atualizado em 11/12/2013 11h23

Federação de surdos da África do Sul diz que gestos não faziam sentido.
Governo informou que faria pronunciamento sobre o caso.

Do G1, com AP
264 comentários
fake (Foto: Matt Dunham/AP)Tradutor usado em pronunciamentos para linguagem de sinais acompanha Obama na TV
 (Foto: Matt Dunham/AP)
 
O homem que fez a interpretação para língua de sinais dos discursos de autoridades durante homenagem ao ex-líder sul-africano Nelson Mandela na terça-feira (10), na qual mais de 100 liderenças mundiais participaram, "era um impostor", informou o diretor nacional da Federação Nacional dos Surdos da África do Sul, Bruno Druchen.
Questionado pela agência de notícias americana Associated Press, o governo da África do Sul informou que estava preparando um pronunciamento sobre o assunto.
Três especialistas em linguagem de sinais falaram à agência de notícias que o homem não estava fazendo a tradução dos discursos nem para o africâner, nem para o inglês. A língua de sinais da África do Sul é usada oficialmente em 11 países, de acordo com a federação. Não ficou claro se o homem que estava fazendo a tradução com um método diferente de comunicação.
O homem, que ainda não foi identificado, foi visto por todo o mundo na TV próximo a líderes mundiais, como o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Ele movia "as próprias mãos, mas não havia sentido no que fazia com elas", afirmou Bruno Druchen.
A tradutora oficial para língua de sinais Nicole Du Toit, que estava acompanhando a transmissão na TV, falou por telefone que o homem que estava fazendo a tradução parecia constrangido.
"Foi horrível, um absoluto circo, muito, muito ruim", disse ela. "Só ele pode entender seus gestos", afirmou.
Integrante do Parlamento da África do Sul, Wilma Newhoudt, que também é surda, falou que o tradutor não comunicava nada com suas mãos e braços.

 http://g1.globo.com/mundo/morte-nelson-mandela/noticia/2013/12/interprete-de-sinais-usado-em-ato-para-mandela-era-falso-diz-federacao.html

VOCÊ CONHECE ESTE SINAL?


DIA 09 DE DEZEMBRO - DIA DO FONOAUDIÓLOGO


O PRECIOSO EVANGELHO DE JESUS ATRAVÉS DA LIBRAS


QUANDO DESCOBREM QUE SEI LIBRAS


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

"Glossário Bilíngue de Amamentação em Libras (Língua Brasileira de Sinais)"

Gostaria de compartilhar com vocês o link para o "Glossário Bilíngue de Amamentação em Libras (Língua Brasileira de Sinais)" que é resultado do trabalho de campo dos profissionais do Centro de Capacitação de Profissionais da educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez (CAS) de Mato Grosso do Sul.

Façam bom proveito e divulguem!

LINK PARA DOWNLOAD DO PDF: http://www.saude.ms.gov.br/controle/ShowFile.php?id=115652


 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=780399458643581&set=a.189925247691008.56451.100000206012253&type=1&theater

 

MINHA TURMA DO CURSO DE QUÍMICA DA UNIMONTES - CAMPUS BOCAIÚVA - DURANTE OFICINA DE LIBRAS - 26-11-13