RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Comparando minhas audiometrias de 2002 e 2012

 Crônicas da Surdez

Comparando minhas audiometrias de 2002 e 2012

Há tempos que queria publicar esse post. Nas figuras abaixo estão as minhas audiometrias de 2002 e de 2012, ou seja, elas têm 10 anos de intervalo. A deficiência auditiva progressiva não perdoa, como dá pra comprovar só de olhar os desenhos. Como sou um zero à esquerda nessa parte técnica, pedi que a super fonoaudióloga Mirella Horiuti explicasse pra gente em bom e simples português. Sou eternamente grata à Mirella pela paciência que ela teve comigo em 2010 e 2011 (na verdade incomodo a Mi até hoje) na fase inicial de adaptação dos meus aparelhos auditivos, quando tudo o que eu queria era atirá-los pela janela ou pisar em cima até esmagar! Rsrsrsrs! O que amo na Mi é que ela não curte choramingos, pelo contrário, se tem um problema vamos dar um jeito de resolvê-lo custe o que custar. Passamos do relacionamento fono-paciente e acabamos amigas de infância. É por essas e outras que considero 1.000% importante confiar no fonoaudiólogo e ter com ele uma relação bacana, porque só a gente sabe o quanto sofre até poder encarar um par de aparelhos auditivos com amor e não com ódio.
Pausa para uma constatação dramática sobre este quadro da dor sem moldura: queria dar um tiro na audiometria de 2012. :)


“Hoje acordei com uma missão importante. Tentar explicar da maneira mais clara possível a progressão de uma perda auditiva. Mas, como qualquer workaholic  fui verificar meus emails antes. Deparei, então, com o email do Crônicas da Surdez falando sobre a progressão de perda auditiva e todos os sentimentos envolvidos nela. Foi um “wake up call” para mim! Pensei em quantas vezes, nós, fonoaudiólogos, falamos para nossos pacientes que a perda auditiva piorou… E talvez não da melhor maneira possível. Vale lembrar que para considerar que uma perda auditiva realmente piorou a audiometria deve ter sido realizada no mesmo equipamento e de preferência com o mesmo profissional. Por que tudo isso? Simplesmente pois há diferenças de calibrações entre os equipamentos e também entre os profissionais que fazem o exame, principalmente a parte do teste que tem fala, a famosa logoaudiometria.
Existem algumas normas que ajudam a definir se a perda auditiva realmente piorou. Descrevi algumas delas abaixo.
NR 7 – PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL (107.000-2)
4.2.3. São considerados sugestivos de agravamento da perda auditiva induzida por níveis de pressão sonora elevados, os casos já confirmados em exame audiométrico de referência, conforme item 4.1.2., e nos quais a comparação de exame audiométrico seqüencial com o de referência mostra uma evolução dentro dos moldes definidos no item 2.1 desta norma, e preenche um dos critérios abaixo:
a) a diferença entre as médias aritméticas dos limiares auditivos no grupo de freqüência de 500, 1.000 e 2.000 Hz, ou no grupo de freqüências de 3.000, 4.000 e 6.000 Hz iguala ou ultrapassa 10 dB(NA);
b) a piora em uma freqüência isolada iguala ou ultrapassa 15 dB(NA).
LAUDO AUDIOLÓGICO – GUIA DE ORIENTAÇÃO DO FONOAUDIÓLOGO
Classificação da perda auditiva de acordo com o grau (Lloyd e Kaplan, 1978) que considera a média de tons puros dos limiares de via aérea entre 500, 1.000 e 2.000 Hz.
Média Tonal
Denominação
? 25 dBNA Audição normal
26 – 40 dBNA Perda auditiva de grau leve
41 – 55 dBNA Perda auditiva de grau moderado
56 – 70 dBNA Perda auditiva de grau moderadamente severo
71 – 90 dBNA Perda auditiva de grau severo
? 91 dBNA
Perda auditiva de grau profundo

Classificação do IPRF – Logoaudiometria (Jerger, Speaks e Trammell, 1968)

Resultado do IPRF Dificuldade de compreensão da fala
100% a 92% Dificuldade de compreensão da fala
88% a 80% Ligeira/discreta dificuldade para compreender a fala
76% a 60% Moderada dificuldade para compreender a fala
56% a 52% Acentuada dificuldade para acompanhar uma conversa
abaixo de 50% Provavelmente incapaz de acompanhar uma conversa

Do ponto de vista clínico, não gosto de nenhuma delas mas sim de uma combinação. Ao meu ver, considero um piora auditiva se encontro um aumento de limiar maior que 10 dBNA e associado à uma piora de entendimento de fala, no mesmo equipamento e de preferência com o mesmo profissional.
Voltando à minha missão, resolvi colocar os audiogramas da minha grande e querida amiga Paula em forma de tabela para facilitar a visualização.

Analisando friamente, sim, temos uma piora na audiometria. Para os limiares auditivos, quanto maior  o valor numérico, maior o grau de perda auditiva. Para a logoaudiometria, quanto maior o valor numérico, melhor é a compreensão de fala em condição ideal (ou seja, dentro da cabina acústica e numa intensidade/volume confortável). No caso da Paula,  evoluímos de um grau de perda severo para um profundo com piora importante de entendimento de fala. Mas, para mim, o mais importante não está aí e sim descobrir se houve piora na performance com aparelhos auditivos. Só assim poderei melhorar as regulagens. Existem diversos testes para isso.
Com o uso do Pure Carat os limiares da minha amiga (em campo livre) sobem e se utilizarmos o mesmo critério, o grau de perda se torna leve.
 
Sempre que me deparo com a piora de uma audiometria, gosto de explicar o seguinte para meu paciente: “A audiometria é como se fosse uma foto da sua audição. É uma informação estática, que separa o que se escuta do lado direito do esquerdo. Ela é muito importante em termos diagnósticos e fornece muitas informações ao médico. Mas ela não reflete o que acontece com sua comunicação no dia-a-dia, ou seja, como seus ouvidos reagem aos sons intensos, à presença de ruído, etc…. A audiometria não leva em consideração seu entendimento de fala com a ajuda de outras pistas como a visual e a contextual. Você pode ter um IPRF muito ruim e  se comunicar muuuuito bem apoiado em outras pistas. É tudo questão de identificarmos as dificuldades e trabalharmos juntos para reduzí-las ao máximo.”
A quem interessar possa, indico a Mirella Horiuti (CRFA 6485/SP)  de olhos fechados. Ela foi Gerente de Produto na Siemens durante muitos anos, e hoje é proprietária de três revendas desta marca no Estado de São Paulo. Seguem os endereços:
Marília – Avenida Santo Antônio, 4050  Fone: (14) 3413-5010/3413-5312
Araçatuba – Rua Tiradentes, 818 sala 5  Fone: (18) 3623-7141
São José do Rio Preto -  Rua XV de novembro, 4425 Fone: (17) 3364-3070/3364-7030
PS: não poderia deixar de citar nesse post meu também eterno agradecimento à Lu Bettega e à Michele Garcia (hoje professora do Departamento de Fonoaudiologia da UFSM) por toda paciência e apoio em 2010 e 2011. E também à Inaê Costa Rechia, que é quem regula meus AASI aqui em Santa Maria e tem uma paciência infinita comigo. Um beijo super gigante no coração de todas vocês! ???
PS.2: entenderam agora porque eu digo que quando coloco meus AASI sinto como se tivesse saído do térreo e ido parar no décimo andar? :) 
 http://cronicasdasurdez.com/comparando-minhas-audiometrias-de-2002-e-2012/

Um desabafo: a surdez também me entristece

Crônicas da Surdez

Um desabafo: a surdez também me entristece

Sempre busquei fazer do Crônicas um espaço no qual não fosse permitido que a gente desabasse se lamentando. E esses dias fiquei pensando nesse assunto. Percebi que nunca escrevi um post-lamentação, e pode ser que, em função disso, às vezes eu passe a impressão errada. Não sou nenhum robô sem sentimentos que não se afeta com a deficiência auditiva. Muito pelo contrário. Às vezes (e não são poucas hein) o fato de não ouvir me enerva num grau tão tremendo que, pra não estourar a cabeça, desligo os AASI e me refugio no silêncio. Não passo 24 horas por dia pensando nesse assunto, não tenho vontade nem paciência de ‘viver’ a deficiência auditiva (tem coisa mais chata do que gente que SÓ fala nisso) e vivo um dia de cada vez. Só que, de vez em quando, parece que a vida vem e me dá um soco na cara como se quisesse me mandar um recadinho. “Você não escuta!!”.
Há algo que me entristece horrores, e quem também possui deficiência auditiva progressiva vai se identificar comigo. É a perda gradual e quase imperceptível da minha capacidade de ouvir muitas coisas que no passado eu ouvia sem esforço. Quando estou ao lado de um aspirador lembro que até alguns anos atrás o som daquilo (isso sem usar AASI) me deixava louca. Hoje, sem aparelho auditivo, um aspirador de pó e uma parede estão na mesma categoria silenciosa pra mim. Desesperador mesmo é ir ‘perdendo’ as vozes das pessoas que amo. Embora meu cérebro me engane enquanto faço leitura labial com aquela memória auditiva ‘fantasma’, sem AASI hoje nem mesmo a voz do meu irmão ouço mais. Pensar nesse fato é algo que evito com toda a força possível fazer porque, convenhamos, é muito deprimente. E há também aquela sensação de um certo distanciamento das pessoas que, antigamente, eram iguais a mim. Sinto como se quem ouve tivesse virado um ET -  já não vivenciamos as mesmas coisas. É difícil encontrar pessoas com as quais eu queira estar, e cada vez mais me sinto confortável com aquelas que já me conhecem há milênios. Vou perdendo bastante a paciência de ficar explicando as 1001 diferenças que tenho com qualquer pessoa nova. Solidão ligou e mandou lembranças…  :)
Acho que desenvolvi um mecanismo de defesa louco, porque automaticamente me proíbo de afundar. E isso é algo que quem convive com a deficiência auditiva tem que cuidar, prestar atenção – afinal, é facílimo se render para a melancolia e o desatino emocional que vêm junto com o silêncio. Tenho tanto caminho a trilhar ainda…não faço nem idéia de quanto tempo mais meus aparelhos auditivos vão me ajudar. Depois disso vou ter que passar pela saga do implante coclear, duas cirurgias (vou querer bilateral, claaaro), adaptação a um novo modo de ouvir. Tanta coisa!! Por isso acho mais saudável deixar a tristeza passageira de lado e focar no agora, no hoje. Ficar antecipando desgraça não dá, né gente?
Não conheço experiência mais solitária do que a surdez. É realmente fácil entrar em depressão e construir um muro das lamentações. E é bizarro perceber que é uma vivência TÃO eu-comigo-mesma que nem adianta tentar chorar as pitangas para as pessoas próximas: elas ouvem e não fazem a mínima idéia do que é ser privado disso. Por isso que gosto de puxar meu foco sempre pro lado contrário. Posso não ouvir mais $#@*& nenhuma hoje em dia com minhas ricas orelhinhas, mas GRAÇAS A DEUS pela tecnologia que me traz de volta ao mundo dos sons. Só não sente falta quem nunca esteve nele; só considera a falta de audição uma mera ‘diferença cultural’ quem nunca teve o prazer de usufruir desse sentido.
PS: vocês viram que o Canal Sony agora passa a série Switched at Birth todo domingo às 11 da manhã? Legendada, ufa! Imaginem uma série metade baseada numa personagem surda dublada, aí seria caso de polícia!

 http://cronicasdasurdez.com/um-desabafo-a-surdez-tambem-me-entristece/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+CronicasSurdez+%28Cr%C3%B4nicas+da+Surdez%29

CADÊ O HUMBERTO MAURÍCIO DE SOUZA?


SE UM LUGAR NÃO PERMITIR O ACESSO A TODAS AS PESSOAS, ESSE LUGAR É DEFICIENTE.


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

SIGNOS DO ZODÍACO

LIBRAS
PEIXES
AQUÁRIO
SAGITÁRIO
CAPRICÓRNIO
ESCORPIÃO
VIRGEM
LEÃO
CÂNCER
GÊMEOS
TOURO
ÁRIES

Surdo viciado na internet.. kkkkkkkkkkkk...


PROMOÇÃO! Língua de Sinais é... - ESTÁ CHEGANDO O GRANDE DIA! AINDA DÁ TEMPO DE PARTICIPAR!

PROMOÇÃO! Língua de Sinais é...

Olá pessoal!

O "Blog Libras - Daniane Pereira - Uma Professora Muito Maluquinha" estará sorteando uma camiseta de Libras.

Para concorrer à camiseta, que será enviada pelos correios para o(a) ganhador(a), você precisa ser seguidor do blog e completar a frase "Língua de sinais é...." (em "comentários" deste post), explicando o que a Língua de sinais representa para você.

Você pode participar quantas vezes quiser, mas precisa incluir na postagem seu nome e e-mail, ok?
A promoção ocorrerá entre 02/08/12 e 20/12/12. Participe!!!

http://danianepereira.blogspot.com.br/2012/06/promocao-lingua-de-sinais-e.html

ESTA PESSOA LUTA POR ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO SOCIAL


3ª VIRADA INCLUSIVA 2012

Olá pessoal!
O Grupo Mãos de Fada vai se apresentar na virada inclusiva!
dias:
01/12 (sábado) às 15h
02/12 (domingo) às 16h


Local: Biblioteca de São Paulo
Parque da Juventude
Av. Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana, São Paulo/SP
CEP 02030-100
(ao lado da Estação Carandiru do Metrô)

Histórias emocionantes e divertidas pra fazer essa virada muito especial...
Não se esqueçam: a contação de histórias é em Libras, mas há a tradução para a Língua Portuguesa
Apareça e convide seus amigos!


Acompanhem toda a programação da Virada Inclusiva no site
http://viradainclusiva.sedpcd.sp.gov.br/
 
Fonte:
 http://www.facebook.com/photo.php?fbid=499005050119907&set=a.486146564739089.108043.442979632389116&type=1

Um pai diferente

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Feito sob medida: o menor aparelho auditivo do mundo para o menor homem da Grã-Bretanha!


“Michael Henbury, estrela do Harry Potter, de 51 anos, tem um par de dispositivos invisíveis que se encaixam dentro do canal auditivo. “Eles são tão pequenos, eu tenho que me lembrar de tirá-los à noite”, diz ele.
Afirma-se que o menor homem da Grã-Bretanha foi equipado com o menor aparelho de audição do mundo. Michael Henbury, o ator de cerca de 90cm, mais conhecido como o Goblin de Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2, tem um par de dispositivos invisíveis que se encaixam dentro do canal auditivo. Aparentemente, ele precisava de um dispositivo pequeno, porque ele tem tímpanos minúsculos. O Sr. Henbury, de 51 anos, que também atuou como um Ewok em O Retorno de Jedi, disse que está muito satisfeito com os resultados.
Ele disse: “De repente percebi que não podia ouvir muito bem e que em salas cheias não era de participar das conversas. Até esse momento a minha audição estava bem“. Ele vem usando aparelhos auditivos Starkey, que alegam ser os primeiros aparelhos intracanal invisíveis, por cerca de um ano. “Ninguém percebe que estou usando” disse o Sr. Henbury. “Assim que eu digo, as pessoas ficam espantadas porque não conseguem perceber. Eu até tenho que me lembrar de tirá-los à noite. Eles são simplesmente fantásticos e fizeram uma diferença para a minha vida.”

Eu não poderia usar nada muito complexo, grande ou volumoso e já me havia sido dito para descartar qualquer tipo de cirurgia, pois seria muito arriscado e difícil.”
Minha altura nunca foi realmente um grande problema para mim, mas quando comecei a sentir a perda de audição, isso começou a afetar minha vida e eu precisava fazer algo a respeito.”
É irônico que eu sou o menor homem da Grã-Bretanha e agora estou usando os menores aparelhos auditivos disponíveis – é como eles tivessem sido concebidos especialmente para mim!”, disse Michael.
Sr. Henbury acrescentou: “Sem o aparelho auditivo minha vida seria muito diferente. Eu teria, quase certamente, uma qualidadede vida reduzida e seria incapaz de ouvir qualquer coisa.”
Cerca de 2 milhões de pessoas possuem um aparelho auditivo no Reino Unido, mas apenas 1,4 milhões de pessoas usam realmente no cotidiano. A vergonha deve dissuadir vários de usá-los.”

 http://cronicasdasurdez.com/feito-sob-medida-o-menor-aparelho-auditivo-do-mundo-para-o-menor-homem-da-gra-bretanha/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+CronicasSurdez+%28Cr%C3%B4nicas+da+Surdez%29

Manual dos direitos da pessoa com deficiência

Manual dos direitos da pessoa com deficiência, (vários autores). Ed.Saraiva. Média de preço: R$110,00.
Quem me deu a dica foi a Carol Soria! Ela contou que usou esse livro na elaboração da sua monografia e amou, pois é super didático e completo. Eu ainda não tenho mas fiquei muito tentada a comprar. Acho que é um bom investimento: são 480 páginas. Bom para quem tem muitas dúvidas a respeito da legislação específica sobre PCD’s.

http://cronicasdasurdez.com/manual-dos-direitos-da-pessoa-com-deficiencia/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+CronicasSurdez+%28Cr%C3%B4nicas+da+Surdez%29

MESES


UMA ÓTIMA QUINTA-FEIRA A TODOS!


MÃOS QUE SINALIZAM!


II FÓRUM DE TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO - APILRJ