RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

terça-feira, 30 de abril de 2013

OLHA O QUE JOSUÉ POSTOU NO FACE!

GALERA!

Josué, meu aluno do 8º período de pedagogia, campus Januária deste semestre (2013.1), postou no face a poucas horas.
Massa! Parabéns!
Quem vai ler????????????
Posta aí!

1º DE MAIO - DIA DO TRABALHO







Alunos recorrem à Justiça para continuarem estudos



Gilberto Abelha / Jornal de Londrina / Amanda com a mãe Jomara: ação na Justiça para garantir a conclusão da faculdade
Amanda com a mãe Jomara: ação na Justiça para garantir a conclusão da faculdade

Com intérpretes fora das salas, estudantes com deficiência auditiva da Unifil não conseguem acompanhar as aulas; Situação deve ser regularizada em 20 dias
A Unifil tem 20 dias para disponibilizar tradutor/intérpretes de Libras (Linguagem Brasileira de Sinais) para alunos com deficiência auditiva em todas as aulas, sob pena de pagar multa diária de R$ 2 mil. A liminar foi concedida pelo juiz da 5ª Vara Cível, Aurênio José Arantes de Moura, a partir de ação civil pública ingressada pela promotora Solange Vicentin. Ela foi procurada por um grupo de pais de alunos da faculdade que enfrentam dificuldades em compreender o conteúdo das disciplinas devido à ausência desses profissionais em todas as aulas.
De acordo com a promotora, nove alunos precisavam de intérprete e a Unifil estava disponibilizando apenas quatro em uma sala de apoio. No entanto, sem os profissionais em sala de aula, eles não estariam conseguindo compreender as matérias. Tanto que dois deles já teriam se desligado da faculdade, segundo a promotora. “A Unifil argumentou que estaria cumprindo a legislação ao disponibilizar os quatro profissionais em uma sala de apoio. Mas a legislação determina que todas as necessidades dos estudantes sejam atendidas e eles precisam de acompanhamento em sala de aula”, explicou.
Amanda Jacinto, 20 anos, está no terceiro ano de Biomedicina e, segundo sua mãe, Jomara, ela quase perdeu a bolsa de estudo no ano passado por não conseguir acompanhar o conteúdo. “Desde o primeiro ano ela enfrentou problemas por falta de intérpretes. Eu dava o celular para ela gravar as aulas e depois eu fazia a transcrição”, conta. Indignada com a situação, Jomara reuniu os pais dos outros oito alunos e foi até ao Ministério Público.
Jomara afirma que hoje existe um discurso voltado para a inclusão das pessoas com deficiência, mas falta uma “compreensão da cultura dos surdos”. “Os surdos são estrangeiros em seu próprio País. É necessário entender que se precisa de informações para compreender e ações para aprender. Onde estão propostas essas ações? Surdos não são aquelas pessoas que não ouvem, mas aquelas que não sabem ouvir”, desabafa. Ela ressalta que a situação está abalando emocionalmente a filha. “A Amanda está com febre, com atestado médico. Só não entro com uma ação por danos morais porque tenho medo que ela perca a bolsa.”
A reportagem do JL procurou contato com a direção da faculdade, mas não obteve resposta.

 http://www.jornaldelondrina.com.br/cidades/conteudo.phtml?tl=1&id=1366808&tit=Alunos-recorrem-a-Justica-para-continuarem-estudos

Anime-se, independente do que os outros vão pensar, achar... Seja persistente e nunca desista.

I ENCONTRO EM COMEMORAÇÃO AO DIA NACIONAL DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS


PIADA!


O precioso evangelho de Jesus através da Libras

Jesus eu ♥ muito você!

 http://www.facebook.com/photo.php?fbid=582576988431595&set=a.581116168577677.1073741828.580938158595478&type=1&theater

Deficiência auditiva unilateral

Crônicas da Surdez

surdez1

“Oi, Paula,
Já te conheço pelo Crônicas da Surdez e pelo Sweetest Person , então deixa eu me apresentar. Meu nome é Laura, sou de Curitiba, tenho 31 anos e há três anos recebi o diagnóstico de surdez súbita. Certo dia acordei e o barulho no meu ouvido esquerdo estava muito forte. Parecia que tinha o apito de uma panela de pressão. Fui em um otorrino que me disse que era secreção. O barulho não passava, até que cinco dias depois outro otorrino me deu o diagnóstico correto: “surdez súbita”. A partir de então passei a ser “portadora de perda auditiva em orelha esquerda neurossensorial de grau moderado, irreversível e de causa não esclarecida”. Após três anos, minha audição piorou e minha perda auditiva unilateral passou a ser severa.
Já estudava para concursos, mas, no começo não pensava fazer inscrições para as vagas de portadores de necessidades especiais (PNE) por puro desconhecimento de tudo, da surdez e da incerteza se seria ou não enquadrada como deficiente auditiva por ter audição normal no outro ouvido.Depois de muitas pesquisas, convencida de que há incongruência interna na legislação que conceitua a deficiência auditiva, estou buscando, na justiça, o reconhecimento da minha perda auditiva unilateral.
Li muitas coisas para a surdez no seu blog e te agradeço por tratar e desmitificar este assunto. Quando vi que você ia lançar o livro, fui logo garantir o meu na Livraria Cultura aqui em Brasília. Devorei o livro em dois dias. Me identifiquei em muitos dos seus relatos do livro, apesar de ter perda unilateral. Muitas coisas estou vivenciando agora, como ser conhecida como “a PNE”, como se essa fosse a única característica minha… Estou utilizando o aparelho auditivo desde o ano passado. Uma das coisas que mais me impressiona é como realmente a deficiência auditiva é tratada como sinônimo de Libras. Para a maioria, ser surdo significa ser mudo e vocês surdos oralizados sofrem preconceito com isso. Obrigada por desmistificar a surdez esclarecendo ser a deficiência mais heterogênea de todas. Por ser invisível para os outros, a grande maioria das pessoas acha que a surdez é invenção …
Encontro-me em uma situação que ainda não foi esclarecida: se o portador de perda auditiva unilateral é ou não deficiente. Meu processo foi sentenciado em primeira instância, estou aguardando os tramites para poder ser nomeada logo. Sofro muito com tudo isso. O fato de eu ter uma audição perfeita não desqualifica o fato de eu não ouvir com um ouvido. A unilateralidade não é exclusividade da deficiência física, como hoje é tratada. Cegos e surdos unilaterais também têm suas limitações. Podem não ser as mesmas limitações de cegos e surdos, mas os unilaterais têm as suas limitações e também sofrem preconceito por isso.
Resolvi então criar o Blog da Surdez Unilateral para colocar toda a jurisprudência que colecionei esses anos e tentar promover um debate sobre o assunto. O CONADE, em dezembro do ano passado, expediu uma Recomendação para que a Administração não reconheça a visão monocular e a surdez unilateral. Apesar de reconhecer que agora o conceito de deficiência tem status constitucional. Há um processo no STJ que está sendo discutido na Corte Especial sobre a surdez unilateral. Dos 15 ministros que votam, no momento o julgamento está 3 x 2 contra a surdez unilateral. A questão sobre a surdez unilateral está agora sendo bastante questionada na justiça e é preciso por um fim na agonia dos portadores de deficiência unilateral.
A idéia do Blog da Surdez Unilateral é criar um grupo para debater sobre o assunto, além de compartilhar experiências com outras pessoas portadoras de surdez unilateral.”

PS: fica o convite para quem for leitor do Crônicas da Surdez. Acho MUITO importante que as pessoas se unam. A verdade é que toda legislação que fala sobre deficiência auditiva é, para dizer o mínimo, muito confusa. Se a gente não se unir pra reverter isso, nossos netos pagarão o preço. Concordam?

Esclarecimentos sobre a perda auditiva unilateral
A deficiência auditiva (também conhecida como hipoacusia ou surdez) é a incapacidade parcial ou total de audição. Pode ser de nascença ou causada posteriormente. Segundo a Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID10), publicada pela Organização Mundial da Saúde, a perda auditiva pode ser condutiva, neuro-sensorial ou mista. Até 2004, a legislação brasileira considerava como deficiência auditiva tanto a perda bilateral quanto unilateral. Hoje, pela legislação (Decreto nº 3.298/99), considera-se deficiência auditiva apenas a “perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibéis (dB) ou mais, aferida por audiograma nas freqüências de 500HZ, 1.000HZ, 2.000Hz e 3.000Hz; (Redação dada pelo Decreto nº 5.296, de 2004). Nós últimos anos, os Tribunais (em especial o Superior Tribunal de Justiça e o Tribunal Regional da 1ª Região) estão pacificando o entendimento de enquadrar a perda auditiva unilateral como deficiência auditiva.  A partir de 2009, com a incorporação da Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, no Brasil, o conceito de pessoa com deficiência passou a ser norma com status constitucional. Assim, hoje quem define a deficiência não é mais o Decreto nº 3.298/99 e sim a Convenção Internacional. Porém, ainda é preciso demandar judicialmente  para ter o reconhecimento da perda auditiva unilateral.


 http://cronicasdasurdez.com/

domingo, 28 de abril de 2013

DEUS ABENÇÕE NOSSA 2ª FEIRA


2ª COPA DOS CAMPEÕES FUTSAL 2013- ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DOS SURDOS DE CAÇADOR


Programa Extra-classe 80 - Educação de surdos e a língua de sinais - PARTES 01 E 02



 

6 meses sonoros

Escrito por laklobato em 25/04/2013
208570_551103624923312_950398267_n 

Hoje completo 6 meses de ativação do segundo implante, o direito.
Embora já faça 3 anos e meio que operei a orelha esquerda, ter amado o primeiro implante coclear e me deliciado cada dia com ele, foi somente com o segundo IC que eu pude ter plena compreensão dos sons. Portanto, hoje é meu meio-aniversário de retorno ao mundo sonoro, de fato.
Quando decidi fazer o segundo IC, eu tinha em mente que os ganhos provavelmente não seriam muito diferentes do primeiro, porque foi isso que me foi passado pela medicina. Então, quando conversei com o Dr. Koji, falei que queria localização sonora e segurança de ter uma orelha de reserva, caso um dos ICs desse problema. Ele foi bem mais otimista que eu e disse que havia a possibilidade de eu dar um salto enorme. Sorri, mas mantive a razão falando mais alto e disse que aceitaria o que viesse.
Passou a ansiedade pré cirurgica, cirurgia, ativação, uns 10 dias e ai, veio tudo o que eu desejava – mas não me permitia ter expectativas a respeito – a compreensão da voz humana. Poder conversar ser focar nos lábios o tempo todo. Poder ouvir música e falar no telefone. Participar de uma reunião sem medo de não entender direito o que é dito. Poder assistir palestras (debate é mais difícil, se as pessoas falarem ao mesmo tempo). Tudo o que, durante 26 anos, a surdez me impediu de fazer.
Lembro da primeira música ouvida. Lembro da primeira vez que falei no telefone. Emoções tão violentas, que transbordavam e me deixavam encharcada pelas lágrimas.
Depois disso, veio um período de depressão. Senti tristeza pelo dia que perdi a audição e tudo isso me foi negado. Senti tristeza pelo primeiro IC não ter dado tão certo. Senti tristeza por ter demorado tanto para encontrar a maneira de contornar essa deficiência que me acompanha desde a pré adolescência.
Foi um período de reflexão, de medos, de angustia, de raiva… saber que o passado não pode ser mudado é bem difícil, quando você encontra a solução. Tantas coisas que eu gostaria de ter feito e não pude…
Fiz terapia, tomei florais, conversei muito com algumas pessoas e, finalmente, o período de luto passou e deu lugar a paz. Pude curtir todas as conquistas, sem mágoas. E voltei a me deliciar com as coisas mais simples: ouvir música enquanto faço academia. Entender o que a dentista fala enquanto usa máscara. Poder relaxar durante a massagem, com o som da música. Receber a primeira ligação telefônica de aniversário. Ouvir a conversa alheia (coisa feia, né?), me sentindo parte do mundo outra vez…
Certeza que sou uma pessoa extremamente auditiva, porque agora, seis meses depois apenas, eu já acho que ouvir me seja tão natural, que até me surpreendo que tenha passado 26 anos sem fazê-lo…
Eu adoro ouvir, adoro os sons, adoro música. Mas, adoro, sobretudo, saber que jamais perdi a capacidade de escutar. Isso é uma dádiva!
Comemoro meus 6 meses sonoros, ao som do tec tec tec do teclado do computador, com um sorriso de orelha a orelha e o coração grato pelas pessoas que me aturaram até a paz de espírito chegar!
Que venham muitos sons!
Beijinhos sonoros,
Lak

http://desculpenaoouvi.laklobato.com/index.php/2013/04/25/6-meses-sonoros/

Livros didáticos para ensino de Libras como Língua materna

Livros didáticos para ensino de Libras como Língua materna

 

 

Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, mais uma vez, produz um material muito importante para a consolidação da Educação Bilíngue de surdos, o material didático de Libras para os primeiros anos Ensino Fundamental (livro para aluno e livro do professor).




http://portalsme.prefeitura.sp.gov.br/Projetos/BibliPed/Anonimo/Publica_EdEsp.aspx?MenuID=183&MenuIDAberto=162

FONTE:
http://gpsurdezeabordagembilingue.blogspot.com.br/2012/11/livros-didaticos-para-ensino-de-libras.html

XI Congresso Internacional da ABRAPT e V CONGRESSO INTERNACIONAL DE TRADUTORES

XI Congresso Internacional da ABRAPT e V CONGRESSO INTERNACIONAL DE TRADUTORES acontecerá de 23 a 26 de setembro de 2013 na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), em Florianópolis.




A chamada deste congresso está dirigida à comunidade acadêmica: professores universitários, alunos de pós-graduação, bem como aos especialistas e profissionais da área, que desenvolvam pesquisas no campo da tradução.


Dentre os  Simpósios propostos, há três sobre Língua de Sinais:


LÍNGUAS DE SINAIS NO EIXO DAS PESQUISAS EM TRADUÇÃO/ INTERPRETAÇÃO.

As pesquisas no campo dos ETILS (Estudos da tradução e interpretação das línguas de sinais) têm crescido vertiginosamente nas últimas décadas. A atividade da tradução e da interpretação no domínio das línguas sinalizadas está concorrendo, em ampla distribuição, com a atividade tradutória relacionada às línguas orais. Na medida em que essas línguas são incorporadas em larga escala às formas de comunicação existentes, às estruturas de interpretação em eventos e à crescente inclusão do sujeito surdo nas esferas sociais de participação. Fica claro, no entanto, que, dentro das pesquisas historicamente relacionadas a esta temática as línguas orais apresentam um esteio teórico muito mais estruturado em relação às línguas de sinais. As pesquisas em TILS no Brasil e no mundo, se tornam gradativamente alvo de pesquisadores da tradução que incorporam em seus textos, além de uma reflexão teórica sobre a tradução em si, também, uma produção que subjaz a prática tradutório-interpretativa, sejam estas relacionadas aos contextos inter ou intraculturais, como são os casos da tradução envolvendo línguas de sinais, somente, ou línguas de sinais e línguas orais num mesmo ambiente. A proposta que lançamos neste simpósio está baseada nas seguintes alíneas: a) Abrir espaço para uma reflexão sobre a atividade do surdo enquanto tradutor e intérprete das línguas de sinais e sua contribuição no desenvolvimento de práticas de resignificação/aproximação das formas nativas das línguas de sinais; b) Evidenciar as questões teóricas relacionas a prática da tradução e interpretação no que tange às relações de (des)afinidade das línguas orais e sinalizadas; c) Dialogar sobre os mais diferentes contextos no quais se podem instalar uma estrutura de tradução de/para línguas sinalizadas e outras questões relacionadas ao campo dos ETILS no geral. É na atividade da tradução que o profissional tradutor, possuidor do jogo de ferramentas denominado língua, monta-a, desmonta-a e remonta-nos a atividades da própria língua. Para os ETILS, a proposta reside numa perspectiva que vai além das trocas simbólicas e/ou materiais, realizadas substancialmente na tradução. Contudo, para o TILS (tradutor-intérprete de línguas de sinais) está a tarefa de conduzir dois sistemas semióticos de bases isoladas, emitindo ou destinando a informação em formas convergentes. Somente uma reflexão sobre a prática através das pesquisas feitas neste campo fornecerá cada vez mais subsídios por uma estruturação completa da atividade tradutória com/envolvendo línguas sinalizadas.

Coordenadores: Anderson Almeida da Silva (UFPI) e Ângela Russo (IPA – Centro Universitário Metodista)

E-mails: andersonalmeida@ufpi.edu.br, alegnaossur@yahoo.com.br

Línguas aceitas para as comunicações neste Simpósio: LIBRAS, Português, Inglês ou Sinais Internacionais.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


O CARÁTER DINÂMICO E TRANSDISCIPLINAR DAS PESQUISAS EM TILS

As pesquisas na área de Tradução e Interpretação de Língua de Sinais (TILS) iniciaram na área da Educação e, atualmente, fazem parte dos Estudos da Tradução, enfatizando principalmente os processos interlinguísticos e intersemióticos nas modalidades visual-espacial e oral-auditiva de linguagem. Ou seja, as pesquisas em TILS estabelecem, por sua origem e natureza, diálogos transdisciplinares, pois acontecem em interface com a Linguística, a Antropologia, a Neurologia, a Sociologia, por exemplo. Assim, a proposta deste GT é a de que diferentes agentes das investigações em TILS tenham um espaço de inserção acadêmica para indagações inovadoras nessa área, de modo a contribuírem com os Estudos da Tradução. Dessa maneira, o simpósio está aberto a propostas que investiguem a atuação de tradutores intérpretes, processos tradutórios, formação de glossários, análises comparativas de aspectos textuais e discursivos entre LF e LM, entre outros.

Coordenadores: Ronice Müller de Quadros (UFSC) e Rossana Finau (Universidade Tecnológica Federal do Paraná)

E-mails: ronice.quadros@ufsc.br, rafinau@gmail.com

Línguas aceitas para as comunicações neste Simpósio: Português, Libras.

 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 

TRADUÇÃO AUDIOVISUAL E ACESSIBILIDADE

A partir do ano 2000, a Tradução Audiovisual ganhou ainda maior projeção através das novas normas de acessibilidade nos meios de comunicação que passaram a ser discutidas em nível global. Este simpósio tem como objetivo atrair pesquisadores e profissionais interessados pela discussão sobre as modalidades de tradução audiovisual voltadas para a acessibilidade de pessoas com deficiência sensorial (cegas e surdas) e intelectual (ex. Síndrome de Down) aos meios audiovisuais, tais como: a legendagem para surdos e ensurdecidos (LSE), a dublagem, o voice-over e a audiodescrição (AD). Nesse sentido, o simpósio proposto pretende constituir-se em um fórum de apresentação/discussão para profissionais da área (legendistas, audiodescritores, tradutores, diretores de dublagem, distribuidores, etc), bem como para pesquisadores de outras áreas que possuam interface com este objeto de análise, tais como Estudos Fílmicos, Linguística de Corpus, Multimodalidade, Estudos Processuais da Tradução, Interpretação de Sinais e Tecnologias Assistivas.

Coordenadores: Eliana Paes Cardoso Franco (UFBA) e Vera Lúcia Santiago Araújo (UECE)

E-mails: elianapcfranco@gmail.com, verainnerlight@uol.com.br

Línguas aceitas para as comunicações neste Simpósio: Português, inglês, libras.
FONTE:
 http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ABRATES

IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ABRATES


31 de maio, 1 e 2 de junho de 2013.
Belo Horizonte

O evento terá como ênfase a crescente importância da tradução e interpretação no Brasil como consequência dos próximos grandes eventos. Porém, todos os aspectos importantes para a profissão do tradutor e intérprete são muito bem-vindos.

Convidamos os interessados a apresentarem propostas / resumos de palestras para o IV Congresso Internacional de Tradução e Interpretação da ABRATES,
Alguns temas sugeridos:
- Uso de ferramentas de tradução
- Mercado de Interpretação (inclusive tendo em vista os grandes eventos a serem realizados no futuro próximo)
- Tradução de espanhol
- Iniciantes: Entrada no mercado
- Tecnologia aplicada à tradução
- Tradução para legendagem / dublagem
- Linguagem (por exemplo, linguagem jurídica, técnica, medicina, artes etc.)
- A relação tradutor – cliente
- Tradução literária
Favor enviar resumos e/ou propostas para o e-mail: ivcongressoabrates@gmail.com.
FONTE:
 http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

3º Simpósio Profissão Tradutor

3º Simpósio Profissão Tradutor

 (PROFT 2013)

São Paulo, 21-22 de junho de 2013

    Mais uma vez, atendendo a inúmeros pedidos de participantes e palestrantes dos anos anteriores, o Scientia Vinces Cursos irá promover o Simpósio Profissão Tradutor. Este evento acadêmico e social procura reunir Tradutores, Intérpretes, Revisores e profissionais de áreas correlatas em um evento descontraído, simpático e voltado para a atualização profissional e para o estabelecimento de contatos, criação de novas redes de comunicação interpessoal e reciclagem de conhecimentos.
 
Não deixe de consultar nossa publicação PROFT em Revista (acesse www.proftemrevista.com) onde serão publicados os artigos completos dos colegas que efetivamente fizerem sua apresentação durante o evento.
 
 
FONTE:
http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

19º . InPLA – Intercâmbio de Pesquisas em Linguística Aplicada

19º . InPLA – Intercâmbio de Pesquisas em Linguística Aplicada

O Programa de Estudos Pós-graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, LAEL/PUC-SP, e o Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Cruzeiro do Sul, PPGL/Cruzeiro do Sul-SP, realizarão em conjunto em 2013 seus maiores eventos acadêmicos: InPLA e SIL.

08 e 11 de outubro de 2013,
Local: no Campus Anália Franco, da Universidade Cruzeiro do Sul, Av. Regente Feijó, 1295, São Paulo, SP, Brasil.

Submissão de resumos de Comunicação Oral no período de 15/03 a 10/06/2013

http://inplasil2013.com.br/

FONTE:
http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

II Encontro Latino-Americano de Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes – ELATILS

II Encontro Latino-Americano de Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes – ELATILS

O II Encontro Latino-Americano de Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes – ELATILS – reunirá profissionais, pesquisadores e interessados em debater questões inerentes à atuação das associações de Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes bem como à formação desses profissionais na América Latina.

O II ELATILS dará sequência àquele realizado na Colômbia, que teve como objetivo principal construir um espaço de reflexão sobre os desafios e as projeções a respeito da formação de Tradutores e Intérpretes, associações, condições de trabalho e seu impacto sobre as questões sociais, a fim de fortalecer as redes de cooperação entre os países participantes e propor mudanças que contribuam para a construção de uma trajetória profissional e acadêmica em países em que estas ainda não foram solidificadas.

O tema do II Encontro enfoca a atuação política das associações e a formação acadêmica dos Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes de Língua de Sinais. O surgimento das associações de Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes de Língua de Sinais é resultado de movimentos sociais, por eles promovidos, em parceria com a Comunidade Surda que objetivam promover, valorizar e capacitar os profissionais para uma atuação consciente e política. Os cursos de formação realizados nos diferentes níveis de ensino (extensão, graduação e pós-graduação) têm por objetivo capacitá-los para atuarem de forma competente e proficiente em diversas esferas da sociedade.

Diante disso, o II ELATILS tem como proposta discutir acerca das contribuições institucionais e associativas nesse processo de formação profissional e reconhecimento do ofício.

Serão cinco dias de debates e reflexões que nortearão decisões futuras da nossa profissão, de modo que possamos fortalecer o trabalho das associações de Intérpretes nos seguintes países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Guatemala, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.
A WASLI (World Association for Sign Language Interpreters) e a FEBRAPILS (Federação Brasileira de Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes de Língua de Sinais) são parceiras na busca pela concretização desses objetivos, por isso, juntas, estão promovendo a realização do II Encontro Latino-Americano de Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes de Língua de Sinais, de 17 à 21 de julho de 2013.

O Evento será realizado na Universidade Presbiteriana Mackenzie – Rio, na cidade do Rio de Janeiro.

Envio dos resumos – até o dia 20 de maio
website: http://2elatils.com.br/site/

FONTE:http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

V Conferência Brasileira de Tradutores do Proz.com

 
V Conferência Brasileira de Tradutores do Proz.com, com o tema INTERNACIONALIZAÇÃO
 
Pensando nesta demanda de oportunidades que estão surgindo para este "BOOM" no desenvolvimento, o mercado está exigindo mais Tradutores e Intérpretes capacitados e atualizados na globalização.

Recife de 24 a 25 de agosto de 2013
http://www.proz.com/conference/400

 trabalho até 12 de abril de 2013.

FONTE:
 http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

XXXIII Semana do Tradutor


XXXIII Semana do Tradutor
São José do Rio Preto,
de 30 de setembro a 4 de outubro

 http://www.eventos.ibilce.unesp.br/semanadotradutor/

FONTE:
http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

Simpósio Brasileiro de Interpretação (SIMBI)

Simpósio Brasileiro de Interpretação (SIMBI)

Chamada de Trabalhos – Primeira Circular

O primeiro Simpósio Brasileiro de Interpretação (SIMBI) será realizado na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, Brasil, de 4 a 6 de setembro de 2013.
...
O Simpósio reunirá pesquisadores, profissionais e estudantes de Interpretação do Brasil e do exterior.

Palestrantes confirmados: Daniel Gile (ESIT), Marianne Lederer (Professeur Emérite de la Sorbonne), Franz Pöchhacker (Viena).

Estão abertas as propostas para comunicações (vinte minutos mais dez minutos para discussão) sobre tópicos relacionados às várias áreas da Interpretação que incluem, mas não se limitam a:

Interpretação Simultânea e Consecutiva; Interpretação de Congressos; Interpretação Judicial; Interpretação de Comunidade; Treinamento e Ensino de Intérpretes; A História da Interpretação; A Pesquisa nos Estudos da Interpretação; A Ética na Prática da Interpretação

Os resumos de no máximo 300 palavras devem ser enviados ao Professor Dr. John Milton, jmilton@usp.br, até 30 de junho de 2013. As apresentações podem ser feitas em inglês, português ou espanhol.

Organizadores: John Milton (USP), Luciana Carvalho (PUC-SP), Reynaldo Pagura (PUC-SP), Luciana Ginezi (UNINOVE, São Paulo), Tinka Reichmann (USP).



FONTE:
http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

Chamada de artigos - Revista Brasileira de Linguística Aplicada


A Revista Brasileira de Linguística Aplicada, uma publicação sem fins lucrativos, é um periódico trimestral, com avaliação por pares, que tem a missão de incentivar a pesquisa na área de Linguística Aplicada.

Criada em 2001, a revista recebe artigos originais, de mestres e doutores, que tratam dos muitos fenômenos relacionados a problemas de linguagem da vida real relacionados à língua em uso em contextos diversos ou à aprendizagem. O periódico também publica resenhas, entrevistas e dois números temáticos por ano. A publicação, com apoio financeiro do CNPq e da FAPEMIG, é de responsabilidade do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, área de concentração em Linguística Aplicada e é distribuída, gratuitamente, aos sócios da ALAB.

CHAMADA DE ARTIGOS para Edição Especial sobre Língua de Sinais

Língua dos sinais em práticas sociais da linguagem
(submissões em português, inglês ou espanhol)
Artigos devem ser submetidos até 28/02/2014
 
FONTE:
http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

Chamada de artigos - Revista Sensos


Caros colegas

Informo que o próximo número da revista SENSUS, uma revista portuguesa da ESE com revisão por pares e no seu terceiro ano de publicação, sob a responsabilidade do Departamento de Educação Especial (Miguel, Cidália e Manuela) terá uma edição temática sobre Educação Especial e inclusão escolar .

Acredito que trabalhos sobre o intérprete educacional sejam interessantes para a temática.
...
O deadline para envio de artigos é 15 de julho


http://ined.ese.ipp.pt/mod/folder/view.php?id=92


FONTE:
 http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

REVISTAS CIENTÍFICAS PESQUISAS NA ÁREA ESTUDOS DA TRADUÇÃO


Cadernos de Tradução
Pós-Graduação em Estudos da Tradução -UFSC
http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/traducao
QUALIS A2


Scientia Traductionis
Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/scientia/issue/archive
QUALIS B5


A revista Tradução & Comunicação (Revista Brasileira de Tradutores)
Centro Universitário Anhanguera de São Paulo
http://sare.anhanguera.com/index.php/rtcom/index


Intercâmbio
Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem - PUC/SP
http://revistas.pucsp.br/index.php/intercambio
QUALIS B1


Tradução em revista
Da PUC-Rio
http://www.maxwell.lambda.ele.puc-io.br/trad_em_revista.php?strSecao=input0


Traduzires
Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução – POSTRAD, da Universidade de Brasília – UnB
http://seer.bce.unb.br/index.php/traduzires


Revista Brasileira de Tradução Visual - RBTV
Educação, Arte, Ciência e Tecnologia a serviço do Empoderamento da Pessoa com Deficiência.
http://www.rbtv.associadosdainclusao.com.br/index.php/principal/about/submissions#onlineSubmissions
QUALIS C


Revista TradTerm
Revista do Centro Interdepartamental de Tradução e Terminologia da FFLCH/USP
http://www.fflch.usp.br/citrat/
http://myrtus.uspnet.usp.br/tradterm/site/


DELTA: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issues&pid=0102-4450&lng=en&nrm=iso
QUALIS A2


Revista BABEL
Universidade do Estado da Bahia
http://www.babel.uneb.br/


Revista Brasileira de Linguística Aplicada
http://www.periodicos.letras.ufmg.br/rbla/
QUALIS C


Revista Trabalhos em linguística aplicada
UNICAMP. Departamento de Linguística Aplicada
http://www.iel.unicamp.br/revista/index.php/tla/about/submissions
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=0103-1813&lng=en&nrm=iso
QUALIS B1


Revista Caminhos em Linguística Aplicada
Programa de Mestrado em Linguística Aplicada da Universidade de Taubaté - UNITAU
http://periodicos.unitau.br/ojs-2.2/index.php/caminhoslinguistica


Regl@ – Revista Goiana de Linguística Aplicada
Universidade Estadual de Goiás,
http://www.prp.ueg.br/revista/index.php/regla


Revista Horizontes de Linguística Aplicada
Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução da Universidade de Brasília
http://seer.bce.unb.br/index.php/horizontesla
QUALIS B1


Revista Práticas de Linguagem
Publicação da UNICAMP. Departamento de Linguística Aplicada
http://www.scielo.br/revistas/tla/iinstruc.htm
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=0103-1813&lng=en&nrm=i


Revista Práticas de Linguagem
Publicação eletrônica do Grupo de Pesquisa Formação de Professores, Alfabetização, Linguagem e Ensino FALE
www.ufjf.br/praticasdelinguagem


In-Traduções Revista do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da UFSC
http://www.incubadora.ufsc.br/index.php/intraducoes

FONTE:
 http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/

PIADA

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

COMUNIDADE DA GRAÇA EM GUARULHOS - 1º CULTO EM LIBRAS


QUEM ENTENDE ESTA FRASE?

PARTICIPE!
ESPERO VC!

Belo Horizonte se mostra uma "cidade surda" para quem tem deficiência auditiva

Obter informações simples, como endereço ou preço de produto, é um tormento
Valquiria Lopes
Publicação: 27/04/2013 06:00 Atualização: 27/04/2013 07:34

Laís Drumond enfrenta muitas dificuldades no dia a dia, como num guichê na rodoviária. A boa surpresa foi encontrar o soldado João Luiz Chagas, com quem conversou em Libras (Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Laís Drumond enfrenta muitas dificuldades no dia a dia, como num guichê na rodoviária. A boa surpresa foi encontrar o soldado João Luiz Chagas, com quem conversou em Libras

As mãos que "falam" e tentam se fazer entender são de Laís Drumond. A atriz de 29 anos, surda desde o nascimento e filha de pais ouvintes, não se intimida em buscar informações, andar de ônibus, recorrer à Justiça ou abrir conta em banco. Mas nem sempre essas tarefas que fazem parte do dia a dia da maioria das pessoas são tão simples para Laís. Assim como ela, muitos surdos voltam para casa em Belo Horizonte frustrados ao buscar de atendimento por não conseguirem se comunicar com os ouvintes. Isso porque, além da dificuldade de audição, muitos têm o desenvolvimento da fala afetado, e sem o acompanhamento de um intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) não conseguem ser entendidos.

Mesmo depois de 11 anos de oficialização do método, a primeira língua para surdos, quem convive com a deficiência relata os muitos desafios ainda a vencer. Na capital, são 4.557 pessoas surdas e 107.046 com alguma deficiência auditiva, segundo dados de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Juntas, representam 4,5% da população da cidade.

A falta de compreensão sobre a língua do deficiente auditivo se repete a cada esquina em que ele precisa sair do seu mundo silencioso e trocar informações. O Estado de Minas foi às ruas com Laís Drumond para testar atendimentos e constatou as dificuldades enfrentadas no comércio, em órgãos públicos estaduais e municipais e na Polícia Militar. O problema é o mesmo: não há pessoas com conhecimento em Libras para atender deficientes auditivos.

A ausência de intérpretes começou na primeira parada: a Unidade de Atendimento Integrado (UAI) Praça Sete, onde Laís pediu informações a uma funcionária sobre emissão de certidão de nascimento. "A funcionária tentou sinalizar, mas ficou nervosa e sorrindo, ao contrário da expressão facial firme, que o surdo precisa para entender uma mensagem. Por fim, ela disse que era difícil, que não me entendia", relatou Laís.

Segundo a atriz, a atendente ainda arriscou com o sinal de "nascer”"em Libras, mas não sinalizou a palavra documento nem soube explicar o valor e o procedimento necessário para emissão. A "conversa" terminou em papel e caneta. "Todos os dias, eu e meu marido chegamos com pilhas de papéis em casa, como todos os surdos", reclama. Segundo o coordenador da unidade, Eliel Benites, os funcionários da recepção e do serviço Posso Ajudar estão recebendo treinamento uma vez por semana, há cerca de três meses. Ele fala dos avanços, mas reconhece: "Ainda estamos em fase inicial".

No terminal rodoviário, não foi diferente. O teste foi feito nos guichês de duas empresas de viagens, mas em ambos houve decepção. Na primeira, o pedido era para uma passagem com destino a Niterói (RJ). Poderia ter sido qualquer trecho que Laís não teria sido atendida, já que a funcionária foi clara. "Eu não te entendo", disse em meio a risos. Ela tentou ser solícita e pediu que a atriz escrevesse seu pedido. Só assim houve comunicação. No segundo caso, Laís afirmou que não sabia escrever. Desse modo, mesmo tendo sinalizado para três funcionários sua intenção de comprar um bilhete para São Paulo, não houve sucesso na tentativa. Ela foi encaminhada ao setor de informações da rodoviária, onde também não havia intérpretes.

O teste para fazer uma simples compra acabou em transtorno também. Imagine explicar ao vendedor o desejo de comprar um sapato vermelho, de salto alto, pago em quatro vezes no cartão e sem juros. Mesmo com todo o esforço do atendente Janiel Salvador, de 22 anos, em acertar na cor, a forma de pagamento não foi compreendida. "Ela é esperta. Se comunica bem. Mas não entendo a linguagem dos surdos", disse Janiel. O gerente da loja, Geovane Gonçalves, reconhece o problema: "Talvez seja a hora de buscar a capacitação".
 
 http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/04/27/interna_gerais,378038/belo-horizonte-se-mostra-uma-cidade-surda-para-quem-tem-deficiencia-auditiva.shtml#.UXu5Vdp3D1U.facebook

Deaf Music

CONFIRA! CONFIRA! http://www.facebook.com/photo.php?v=265162020287242&set=vb.100003803379180&type=2&theater

SORRIA! JESUS TE AMA!


BOM DIA! QUE TUDO DÊ CERTO HOJE.


PETIÇÃO! ASSINEM! AJUDEM! Por intérprete de LIBRAS na Universidade da PUCRS!

 AJUDEM, ASSINANDO ESTA PETIÇÃO!



AJUDEM, ASSINANDO ESTA PETIÇÃO!

Esta petição é importante porque ela defende o direito à Educação, à acessibilidade, à Inclusão dos estudantes surdos na Sociedade!

http://www.avaaz.org/po/petition/Por_interprete_de_LIBRAS_na_Universidade_da_PUCRS/?cChVEeb

RYBENÁ - NOVIDADES!

Pessoal,

O Rybená é capaz de traduzir textos do português para a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e de converter português escrito para voz falada no Brasil.
Fonte:


Comentei em sala de aula a semana passada sobre a atualização do Rybená. Pois bem, ELA JÁ ACONTECEU!
O Rybená que a CTS disponibilizou gratuitamente em nosso blog (agradeço profundamente), passou por mudanças e está ainda melhor.
Façam o teste!
O Rybená está muito mais rápido!

Iremos aproveitar ainda mais nossas aulas no laboratório de informática com esta novidade!

sábado, 27 de abril de 2013