RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Nilton Câmara entrevista Vanessa Vidal - Libras (2014)

No Dia Nacional do Surdo a luta é pela inclusão

Em 26/09/2014 16:59h

Atividade na Casa de Ensaio, buscou a interação entre crianças e adolescentes
surdos e ouvintes.


No último senso do IBGE(Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a deficiência auditiva severa foi declarada por 2.143.173 pessoas, sendo 344.206 pessoas surdas (0,2%) e 1.798.967 pessoas com grande dificuldade de ouvir (0,9%). Nesse Dia Nacional do Surdo, comemorado em 26 de setembro, a inclusão entre os surdos e ouvintes continua sendo uma das principais dificuldades a ser enfrentadas pelas famílias e educadores. Essa é a opinião do instrutor surdo do CEDADA (Centro Estadual de Atendimento ao Deficiente da Audiocomunicação), Renato Borges Daniel.

Uma atividade realizada nesta sexta-feira(26), na Casa de Ensaio, buscou a interação entre crianças e adolescentes, surdos e ouvintes. A ação faz parte do chamado ‘Setembro Azul, em que são relembradas as lutas históricas por melhores condições de vida, trabalho, educação, saúde, dignidade e cidadania.

A data lembra a inauguração da primeira escola para Surdos no país em 1857, atual INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos) e o reconhecimento da Lei Nº 10.436 de 2002, assinada pelo ex-presidente, Luis Inácio Lula da Silva, que reconhece a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), como língua natural.

“A maior dificuldade para o surdo continua sendo a comunicação, principalmente porque muitas entidades e órgãos públicos não possuem um intérprete disponível para atender o surdo. O surdo é um cidadão, no entanto, acaba não podendo usufruir de tudo o que a sociedade possui”, avalia a professora intérprete do CEADA, Beatriz Maria Santos Lima Duo.


A maior dificuldade para o surdo continua sendo a comunicação,avalia a professora
interprete do CEADA, Beatriz Maria Santos Lima Duo.


Ela explica que em relação ao preconceito, "as pessoas pensam que o surdo não tem capacidade porque não consegue se comunicar na língua oral falada e precisa de um intérprete, de uma pessoa para acompanhá-lo".

Para Cristiane Alves, coordenadora do CEADA, o surdo vive um bom momento com a divulgação da língua de sinais e a instituição da na Lei Nº 10.436, que reconheceu a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) como uma língua natural. “Esse reconhecimento possibilitou a regulamentação de uma nova profissão que é a  do intérprete de Libras. Esse avanço fez com que os surdos tenham mais possibilidade de estudar e interagir com os ouvintes e adotar lutas políticas, organizados em associações e movimentos populares, a reafirmarem e reivindicarem seus direitos”, ressaltou.


Para Cristiane Alves coordenadora do CEADA, o surdo vive um bom momento com
a maior divulgação da língua de sinais. 


A professora, Marlene Santos Gueiros, professora do CEADA e intérprete na UCDB, classifica o 26 de setembro como: “Um dia muito especial porque marca um avanço muito grande por parte dos surdos e familiares. É preciso fortalecer a luta pelos direitos embora tenham sido conquistados é preciso colocá-los em prática de maneira efetiva”, disse.  

“No dia nacional do surdo, avançamos muito em termos da questão da língua, que é o propulsor para o aprendizado. Isso é muito gratificante, hoje eles podem se valorizar porque a diferença é gritante para o surdo alfabetizado na época do oralismo para a aquele alfabetizado pela Língua de Sinais, tanto no campo pessoal como profissional”, salienta, Maria das Graças de Matos, a primeira professora na educação de surdos em Mato Grosso do Sul.


Grupo de professores e intérpretes: profissão de fé.  

A FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), foi representada pelo secretário de políticas municipais, professor, Ademar Rosa Plácido. “A FETEMS tem uma tradição de luta pela Educação Inclusiva e não poderíamos deixar de estar presentes neste evento, que luta para a integração dos surdos em todos os níveis”, salientou.

 http://www.fetems.org.br/novo/nw.php?nw=6432

Filmes dublados privam surdos no cinema


Empresários alegam que procura por filmes legendados atinge só 30%
A falta de filmes com o idioma original e acompanhados de legenda torna as salas de cinema praticamente inacessíveis aos deficientes auditivos, que teriam a legenda como única opção. Segundo representantes de redes de cinemas com salas em Limeira, a situação ocorre porque a procura por filmes dublados chega a ser de 70% em relação aos legendados.
Professora intérprete de alunos surdos, Fernanda Rodrigues da Silva julga como equivocada a decisão dos cinemas, em geral, por optar por produções dubladas. "Eu mesmo não gosto de filme dublado e já fico frustrada por não encontrar as produções no meu gosto. Imagine os alunos que têm deficiência auditiva? Eles ficam extremamente chateados pela atual tendência dos cinemas, pois são privados de acompanhar filmes", diz.
Fernanda também alega que a lei de acessibilidade deveria ser seguida pelos cinemas, de modo a garantir o acesso aos deficientes auditivos. Ela se refere à Lei 10.098/2000, que traz como norma os serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens a adotar um plano de medidas técnicas, com o objetivo de permitir o uso da linguagem de sinais ou outra subtitulação durante as atividades.
De acordo com a coordenadora do Centro João Fischer, que atua na área de surdez, Regina Célia Pereira, há a necessidade não apenas de manter os filmes legendados, como também integrar uma janela de interpretação nas salas de cinema. "Desta forma, não apenas as crianças com deficiência auditiva alfabetizadas teriam acesso aos filmes", diz.
No João Fischer, há 43 surdos e apenas 30% são alfabetizados. Ela explica que a integração de libras ajudaria a todos a terem acesso ao cinema. "O legendado ajuda a uma parcela, mas essa ação, a de por janelas de libras, seria ainda melhor para que eles pudessem se divertir", explica.
SURDOS
Para os alunos de uma escola estadual de Limeira que possuem deficiência auditiva e são alfabetizados, retirar filmes legendados do cinema é algo negativo. Fernanda, que é professora desses estudantes, explica que uma das maiores frustrações dos alunos foi ter lido o livro "A culpa é das estrelas" e não conseguiram assistir ao filme, pois todas as sessões em Limeira eram dubladas.
Para o estudante Clismon Moreira Souza, 17, que é deficiente auditivo, há um sentimento de revolta quando algum filme de seu interesse não tem a opção legendada. A opinião do estudante foi obtida após a interpretação da professora, que traduziu para a reportagem a conversa do jovem em libras. "Quando dá vontade de ver algum filme em lançamento, vou ao cinema e vejo placa escrito dublado, fico bravo. Olho para os ouvintes e vejo que eles podem assistir o que eles querem, mas surdos não. Parece até que somos presos", desabafa.
Ele ressalta que as pessoas precisam entender que os surdos também querem assistir filmes como os ouvintes e que isso é um direito. "E para os ouvintes, se fosse em japonês sem legenda? Eles ficariam satisfeito?", questiona.
Outra estudante com deficiência auditiva, Thalita Aparecida, 15, também revela que fica desapontada quando o filme não tem legenda no cinema. "O filme precisa ser legendado, eu já reclamei, mas não adianta nada. Se tem a lei, precisa obedecer, é direito do surdo", opina.
CINEMAS
Supervisor do cinema da rede Arcoplex no Pátio Limeira Shopping, Osmar Caldera, explica que a decisão (de mais filmes dublados) não depende do cinema e sim das distribuidoras. "Elas decidem várias coisas quanto aos filmes, quanto tempo fica em cartaz, o idioma, entre outros detalhes", diz.
Ele explica que as distribuidoras alegam que há mais procura por filmes dublados que legendados.
De acordo com superintendente do Shopping Center Limeira - que conta com salas da rede Centerplex - Alexandre Gabriel, há chance da situação mudar até o final do ano. "O cinema fez obras de readequação nos últimos meses, com uma nova tecnologia capaz de trazer melhorias na questão de filmes dublados ou legendados. Isso deve ocorrer até dezembro", diz.
O Jornal de Limeira tentou contato com representantes da rede Centerplex por quatro dias, mas não teve retorno.

 http://jlmais.com/detalhes/14237/filmes-dublados-privam-surdos-no-cinema

SURDO = DEAF




https://www.facebook.com/photo.php?fbid=329439140558011&set=a.106140469554547.14430.100004757830664&type=1&theater

CURSO DE LIBRAS - PE




Uma grande oportunidade! Façam já suas inscrições! Aceso no link abaixo:

http://visaoinclusiva.com.br/ciranda/inscricao/

EM QUE ANO VOCÊ COMEÇOU A APRENDER LIBRAS?




https://www.facebook.com/530512013655936/photos/a.530940476946423.124680.530512013655936/876964802343987/?type=1&theater

Oficina com Natalia Romera - 08/11/14 - TAUBATÉ / SP



Oficina com Natalia Romera, corra!!!! 

Oficina com poucas vagas...

Investimento: R$70 com certificado pelo MEC
 

Garanta já a sua!

Toda criança é única - Quebrando a invisibilidade - Com libras

 Toda criança é única - Quebrando a invisibilidade - Com libras

Duração: 00:27:01
Série: Toda criança é única
Nível de ensino: Educação Infantil

Sinopse

Neste episódio, conhecemos Andressa Cleusi Lourenço, que é cega e está no 3º Estágio. Ela entrou na escola no ano passado, é dócil, disciplinada, atenciosa, esperta e tem grande capacidade de aprendizagem. A professora segue uma apostila em braile pra ensinar o alfabeto e tem explorado o espaço físico em sala e Andressa consegue identificar as cores, mesmo que os médicos afirmem que ela não enxerga nada.

Outras informações

Ano de produção: 2007
Público-alvo: Professor
Faixa etária: A partir de 18
Área temática: Educação Especial, Escola-Educação
País de origem: Brasil
Versão do áudio: Áudio original
Produtora: TV Escola / TV Cultura
Diretor: Sílvia Godinho

http://tvescola.mec.gov.br/tve/video?idItem=4716#

1º CAMPEONATO PARA SURDOS DE CHAPECÓ - COM DESFILE DA MISS SURDA - Asc Surdos Chapecó

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1931373340334920&set=a.1751665254972397.1073741826.100003868196080&type=1&theater

OFICINA: CLASSIFICADORES COM RIMAR ROMANO NA ADAS - Associação dos Deficientes Auditivos de São Roque

 

https://www.facebook.com/AdasAssociacaoDosDeficientesAuditivosDeSaoRoque/photos/a.524961487570981.1073741826.521687147898415/749563431777451/?type=1&theater

QUE SINAL É ESTE?




https://www.facebook.com/photo.php?fbid=332150270291962&set=a.169524723221185.1073741827.100004909754399&type=1&theater

A IMPORTÂNCIA DA LIBRAS



Rimar Romano é ator, mímico, clown e surdo profundo desde que nasceu. Fundou a Cia. Arte e Silêncio junto com sua irmã Sueli Ramalho, com a qual realizam peças de teatro que abordem a inclusão de pessoas surdas ou com outras deficiências na sociedade. Ele pretende assim, mostrar a importância da cultura surda e da linguagem de sinais.
Realização: Grupo Tatarana

Este vídeo faz parte do projeto "Histórias que Mudam o Mundo", uma campanha do Museu da Pessoa, em parceria com a Caema, que mobilizou internautas de todo o Brasil a contar histórias sobre os mais variados tipos de mudança que acontecem na vida das pessoas, das mais cotidianas às mais extraordinárias atitudes transformadoras. O objetivo era exibir estas histórias para inspirar no público outras atitudes de transformação e novos olhares sobre o mundo. A campanha, que contou com o apoio do Instituto Oi Futuro, recebeu 91 vídeos e seu conteúdo gerou uma exposição virtual no portal do Museu da Pessoa.

IV SEMINÁRIO DE DIVERSIDADES BILINGUE - GOVERNADOR VALADARES / MG

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=518008798336383&set=a.122026494601284.22023.100003818033446&type=1&theater

I Fórum de Tradutores e Intérpretes de Língua de Sinais das Instituições Federais de Ensino




EVENTO: O I Fórum de Tradutores e Intérpretes de Língua de Sinais das Instituições Federais de Ensino pretende congregar os tradutores e intérpretes das Instituições Federais de Ensino, inaugurando um espaço de interação e reflexão profissional, com vistas à afirmação, promoção e qualificação da carreira. Acontecerá na UFSC em Florianópolis/SC nos dias 12 e 14 de novembro deste ano.

Maiores informações acesse:  


AULA DE LIBRAS – Eleições | TV INES

 
 
O apresentador Heveraldo Ferreira responde a algumas das perguntas mais comuns sobre eleições. Um programa útil, que pode ajudar a comunidade surda...

MENSAGEM DE Thaisy Payo SOBRE O PROGRAMA HOJE EM DIA DO DIA 26 DE SETEMBRO

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10204312575441741&set=a.4633267236908.189788.1449726919&type=1&theater

CONHEÇA O TEATRO PARA SENTIR

 
 
Teatro para Sentir é um projeto do Coletivo Diveersa que torna acessíveis espetáculos teatrais, utilizando ferramentas de audiodescrição (para cegos) e tradução em libras (para surdos). Com isso, garantimos o direito de toda pessoa de participar da vida cultural, conforme disposto em instrumentos internacionais, tais como a Declaração dos Direitos Humanos e a Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência. Nesta primeira edição, contamos com a parceria do Teatro Vila Velha e o apoio financeiro do Fundo de Cultura do Governo da Bahia.
 
 

30 de setembro é Dia Internacional do Tradutor e do Interprete.

Hoje, 30 de setembro é Dia Internacional do Tradutor e do Interprete.

Hands Up Libras parabeniza esses profissionais que são desafiados a transportar mundos através das línguas...


 https://www.facebook.com/406011086093694/photos/a.406013646093438.109125.406011086093694/922082817819849/?type=1&theater

Lei obriga permanência interprete em Libras nas unidades de saúde

Nada mais Justo!!
Avante sempre
 
Lei obriga permanência interprete em Libras nas unidades de saúde.
 
Veja:
 
 


“O Som das Cores", espetáculo de animação e contará com audiodescrição.


A trama inspirada em fantasias literárias será apresentada no Teatro da Caixa Cultural, nos dias 10 e 11 de outubro.
“O Som das Cores", espetáculo de animação que traz uma trama inspirada em famosas fantasias literárias, irá se apresentar no Teatro da Caixa Cultural, no bairro do Recife, nos dias 10 e 11 de outubro e contará com audiodescrição. A peça de classificação livre será exibida em três sessões e conta a história de Lúcia, uma adolescente que perde a visão aos 15 anos e pensando que seu cachorro havia fugido com seus olhos, sai em busca dele.
O espetáculo indicado a seis categorias do Prêmio Copasa Sinparc, o maior do gênero das artes cênicas de Minas Gerais, já se apresentou com recursos de audiodescrição nas cidades de Curitiba, Belo Horizonte, Fortaleza e Florianópolis. No Recife, segundo a organização do evento, irão dispor 30 aparelhos destinados às pessoas com deficiência visual.
O SOM DAS CORES - A partir do poema “O Cego” do checo Rainer Maria Rilke e do livro “O Som das Cores” do taiwanês Jimmy Liao, além das influências de várias fantasias cinematográficas, o espetáculo "O Som das Cores" traz a história de Lúcia, uma adolescente que perde a visão aos 15 anos e pensando que seu cachorro havia fugido com seus olhos, sai em busca dele.
No subterrâneo das estações do metrô e fora delas enfrenta perigos, derrota inimigos, e a tentativa de recuperar sua visão se transforma na maior aventura de sua vida.
Através de uma trama inspirada em filmes de aventura somada a uma trilha composta pelo expoente grupo mineiro “Graveola e o Lixo Polifônico”, o espetáculo conta, de maneira fantasiosa, as aventuras e desventuras da personagem em sua busca por algo provavelmente impossível.
A peça é uma montagem da Catibrum Teatro de Bonecos que mantém a proposta de utilizar o boneco como objeto de interpretação, além de mostrar ser possível transformar a magia do teatro de animação em um espetáculo envolvendo atuações e imagens.
Serviço:
O Som das Cores - Cia Catibrum Teatro de Bonecos
Local: Teatro Caixa Cultural Recife, Av. Alfredo Lisboa, 505
Datas e horários: Dia 10 de outubro às 17h, dia 11 de outubro às 16h e 19h
Preço: R$10,00 inteira e R$5,00 meia.

 https://www.facebook.com/sead.pe/photos/ms.c.eJw9y8ENwEAIA8GOIggY7P4bixS4e47WVjmYdMOblfZo3S4Pq3VzrNN7fPf8~;xFrIYgW9AGlgxOD.bps.a.961584300524691.1073742009.359683127381481/961584810524640/?type=1&theater

Confira carta de Leda Spelta, cega, sobre acessibilidade nas campanhas dos três presidenciáveis com mais intenções de voto:



Carta aos Presidenciáveis: Por que desprezam quem precisa de acessibilidade? Será que não querem o nosso voto?

Caríssimos candidatos Dilma Rousseff, Marina Silva e Aécio Neves,
Desalentada com a escassez de informações apresentadas nos programas eleitorais, resolvi acessar os sites oficiais de campanha, na esperança de encontrar esclarecimentos sobre as principais diferenças programáticas, ou seja, sobre o que eu poderia esperar do futuro do Brasil com cada um dos senhores na presidência, já que são os candidatos com chances reais nessa eleição. E decidi começar pelo site da Presidenta Dilma: http://www.dilma.com.br/.
Neste ponto, preciso abrir um parênteses para informá-los de que sou cega. Para usar o computador, utilizo um tipo de programa chamado leitor de telas; através de um sintetizador de voz, ele informa os textos e demais objetos que estão na tela, além de possibilitar a interação com eles sem usar o mouse. Mas, como os programas são mais limitados que os seres humanos, toda essa maravilha só acontece se a codificação das páginas Web seguir os padrões de acessibilidade; padrões que existem internacionalmente (as WCAG são mais ou menos como as normas ISO) e nacionalmente (o Governo Eletrônico tem o eMAG, que é o modelo de acessibilidade). O cumprimento dessas diretrizes garante que, tanto as informações contidas na página, quanto as interações com os objetos (links, campos editáveis, botões, barras de rolagem, etc), poderão ser usufruídas em igualdade de condições, não só pelas pessoas cegas, como por todas aquelas que tenham alguma dificuldade para acessar a Web (falta de força ou de coordenação motora para usar o teclado ou o mouse, dautonismo, dentre outras situações).
Voltando ao site de campanha da Dilma, logo no início, após o título "MAIS MUDANÇAS, MAIS FUTURO – Dilma Presidenta", encontrei a palavra "Escondido", que parece ser algum erro ou gatilho do código. Desta forma, "Escondido" está escondida para quem está vendo, mas está "visível" para quem não está vendo... Apesar da minha aversão ao lugar comum, não consegui deixar de me perguntar o que será que a Presidenta estará escondendo? Mas sigamos em frente, já que o meu objetivo é conhecer o programa. Um pouco mais adiante, encontrei uma lista com 6 itens semelhantes, dos quais, para poupá-los, mostrarei apenas um: "banners/5404a373a1272_1500". Essa coisa é o nome de uma imagem que está sendo mostrada, mas que não tem uma descrição alternativa em texto, que possa ser usada por programas leitores de telas e browsers que não processam imagens. E a gente tem que ouvir isso...
Encurtando a história, depois de mais alguns percalços e muito bla-bla-bla, encontrei lá no finalzinho da página um link para "Programa de Governo". Isso mesmo: as notícias pontuais e descartáveis, que podem ser encontradas na mídia ou nas redes sociais, essas ganham destaque, enquanto o programa de governo, por ter tão pouca importância, fica lá no cantinho... Pouca? Talvez nenhuma, pois até mesmo na própria página do programa, o destaque não é para ele e sim para a participação do eleitor. Mas eu entrei no site oficial, não foi? Será que entrei no blog? Tudo bem, já que é assim, posso aproveitar para dar a minha sugestão para se preocuparem com a acessibilidade do site, se não por respeito, ao menos por interesse, já que também somos eleitores. Posso mesmo? Antes tenho que provar que sou gente, decifrando aqueles caracteres distorcidos... Tudo bem que tem uma opção em áudio para quem não pode ver; mas os dígitos são falados em inglês... Presidenta Dilma, será que todos os seus eleitores cegos sabem inglês?! Será que a língua oficial do Brasil mudou e eu nem fiquei sabendo?
Finalmente, o link para o programa ! Mas está dentro de uma imagem cuja descrição alternativa em texto está fora do padrão. E o programa está num arquivo no formato PDF, criado sem acessibilidade. Resumindo: problemas para encontrar o programa, para baixar, para abrir e para ler.
Presidenta Dilma, sei que pretende governar para todos os brasileiros. Mas, como conseguirá fazer isso, se não está sendo inclusiva nem nas ações da campanha?
Já na página do Aécio, http://aecioneves.com.br/, a experiência foi bem diferente. Enquanto na página da Dilma encontrei barreiras no envio de mensagens, na do Aécio, nem digitei nada e já encontrei a mensagem: "Obrigado - Suas informações foram enviadas!" Confesso que fiquei duplamente paranóica. Será que eles coletam informações do nosso computador, ou lêem nosso pensamento? Creio que esta mensagem não esteja visível (não deixariam um furo desses com quem enxerga)... Mas, e o eleitor que não vê, mas lê a mensagem, será que não importa? E a dificuldade de interação não termina aí. No campo de cadastramento de e-mail, por exemplo, quem usa leitor de tela lê o seguinte: "home_slider/2fa595c093e445f897b54b20ae4a66b6 Cadastre seu e-mail". Minha sugestão é que, para quem usa programa leitor de telas, a mensagem seja a seguinte:
"Se você teve tempo e paciência para ler a tranqueira que está antes desta mensagem, parabéns! E agora cadastre seu e-mail!"
Enfim, encontrei uma lista de itens, denominados "plano" ou "propostas". E logo me interessei por um, o "Programa Brasil Acessível". Mas a alegria durou pouco. O texto é muito genérico, não dá para entender como serão as ações: não se fala em acessibilidade na educação, nem na cultura, nem na mídia, na informação, no transporte, no trabalho... Das três frases que compõem o "Programa Brasil Acessível", a mais específica é: "Financiamento de compra de equipamentos para o tratamento de pessoas com deficiência". Ou seja, se for para a educação, a cultura, o trabalho, não tem. Só se, além de deficiente, a pessoa for também doente; caso contrário, esquece!
Candidato Aécio, acredito que tenha as melhores intenções, mas está muito mal assessorado com relação à acessibilidade e às necessidades das pessoas com deficiência. Como pode prometer acessibilizar o Brasil, se não consegue acessibilizar nem o seu site de campanha?
E assim, depositei a derradeira esperança no site da Marina, http://marinasilva.org.br/, até porque ouvi nas suas propagandas que ela, sim, tinha programa, os outros não... E também porque não quero desistir do Brasil, nem da acessibilidade, nem de eleger um candidato pelo seu programa de governo... E não foi difícil encontrar o link para o programa de governo. Porém minha esperança acabou ali, já que o recurso utilizado para exibir o programa não é nada acessível. Enfim, depois de alguns travamentos do browser e de reiniciar o computador, consegui, nem sei como, acessar o texto do programa, onde pude ler, entre outras coisas, o seguinte: 

 "O conceito de "pessoas com deficiência" tuais ou múltiplas. A participação plena e

abrange condições variadas. As deficiências efetiva de milhões de pessoas com deficiênpodem

ser sensoriais ou intelectuais, inatas cia, em igualdade de condições com as de-

ou adquiridas, temporárias ou permanentes. mais pessoas, depende do modo como orga-

Podem ter pouco impacto na capacidade de nizamos o funcionamento da sociedade.

trabalho e na interação com o meio físico e Desde os anos 1960, observa-se a politisocial

ou podem ter impacto significativo. zação do tema, liderada por ativistas e orga-

Podem ser físicas, auditivas, visuais, intelec-nizações ao redor do mundo. Inicialmente,

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: REFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS"
 
Candidata Marina, não se preocupe, sei perfeitamente que não escreveu isto. A senhora, assim como a maioria das pessoas, provavelmente não sabe porque foi que eu li assim. Foi porque o programa estava num arquivo inacessível, editado em duas colunas, que o meu leitor de telas não conseguiu separar.
E a novela não acaba aí. Além das barreiras de acessibilidade citadas, todos os três sites apresentam várias outras, como o baixo contraste e a estrutura incorreta de cabeçalhos, além daquelas que prejudicam todos os cidadãos, como a baixíssima performance dos sites, o excesso de elementos na página, a falta de versões para dispositivos móveis, etc.
Voltando à página principal da marina, comecei a passear pelos links, mas percebi que eu já não era a mesma. Depois de engolir sopa de letrinhas, dígitos em inglês, tratamentos de saúde e textos embaralhados, acabei como aquele Crioulo Doido do samba do Stanislaw Ponte Preta. Ao me deparar mais uma vez com os links "Doe aqui" e "Doe agora", pirei total e comecei a falar sozinha:
Vocês escreveram errado, é "Dói aqui", "Dói agora"! E como dói... Dói a falta de conhecimento de vocês sobre pessoas com deficiência e acessibilidade. Mas isso é o que dói menos, porque ninguém consegue saber tudo sobre tudo. Muito mais do que isso, dói a falta de importância que vocês dão a nós, pessoas com deficiência, a ponto de não se importarem em arranjar uma assessoria de qualidade, nem para construir o programa, nem para fazer o site de campanha! E se na campanha é assim, imaginem o que será depois...
Caríssimo Aécio, Prezada Marina, Ilustríssima Dilma, nós, pessoas com deficiência, somos cidadãos como quaisquer outros. Estudamos, trabalhamos, nos divertimos, formamos família; podemos votar e ser eleitos; pagamos nossas contas e nossos impostos; estamos sujeitos à lei e podemos ser presos e ter nosso nome no SPC. Somos pedintes, fracassados, deprimidos, humilhados; e somos também médicos, advogados, educadores, cientistas, psicólogos, empresários, jornalistas, bancários, balconistas, operários, lavradores, artistas... Nossos braços, às vezes frágeis, não nos impedem de ajudar a sustentar este país; nossas pernas, às vezes atrofiadas, não nos impedem de trilhar os caminhos que conduzem o Brasil para uma realidade mais digna e justa; nossos olhos, que às vezes não enxergam, nem por isso nos impedem de ter visão de futuro; nossos intelectos, às vezes limitados, não nos impedem de perceber a humilhação e o preconceito; nossos ouvidos, que às vezes não escutam, não nos impedem de ouvir o clamor dos milhões de pessoas com deficiência, tratadas como cidadãos de segunda ou terceira classe.
Agora me digam, por favor, o que sugerem que eu faça no dia 5?
Com preocupação e esperança, 

Lêda Lucia Spelta

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

CURSO DE LIBRAS - MONTES CLAROS / MG



https://www.facebook.com/photo.php?fbid=448442491944068&set=a.306315979490054.74127.100003349626195&type=1&theater

Falhas da educação inclusiva ainda deixam 140 mil jovens fora das escolas

No país, cerca de 140 mil crianças e jovens estão fora da escola devido a deficiência, transtornos de desenvolvimento, autismo e superdotação, segundo levantamento na base de dados dos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) na Escola e têm até 18 anos. A discussão sobre garantir o direito à educação inclusiva a todos os que têm deficiência é tema da Semana de Ação Mundial, que ocorre entre 21 e 27 de setembro e este ano tem como tema o Direito à Educação Inclusiva – Por Uma Escola e Um Mundo para Todos. Como parte das atividades da semana, um seminário foi realizado hoje (23), em Brasília.
A coordenadora executiva da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Iracema Nascimento, avalia que houve avanços significativos na inclusão das pessoas com deficiência nas escolas. No entanto, diz que, para ampliar os resultados do trabalho e garantir as matrículas das pessoas com deficiência em escolas regulares, é preciso superar fatores como a falta de estrutura escolar e também ampliar a qualificação de professores e vencer a resistência de famílias. “ Às vezes, há resistência até das famílias, que ficam temerosas de que suas crianças sejam maltratadas”, disse Iracema.
Dados da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, obtidos a partir do Censo Escolar de 2013, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apontam que apenas 6% dos professores que atuam na educação básica têm formação continuada específica em educação especial de, no mínimo, 80 horas.
Mãe de um adolescente com paralisia cerebral, Keila Chaves fundou o Centro de Apoio a Mães dos Portadores de Eficiência (Campe). Ela relata que enfrentou dificuldades para matricular o filho em escola regular. Segundo ela, é fundamental que as famílias se mobilizem e busquem informações para garantir o direito à educação inclusiva. “Não sabíamos que a educação era um direito. Quando eu chegava na escola atrás de vaga, a resposta era que lá não era lugar para o meu filho, que a escola não estava preparada. Eu até começava a me condenar por buscar isso para ele”, relata.
Keila conta que sua percepção sobre o direito à educação mudou quando ela tomou conhecimento da Declaração de Salamanca, que trata dos princípios, política e práticas em educação especial. A declaração foi aprovada em 1994 na Conferência Mundial de Necessidades Educacionais Especiais, na Espanha, por representantes de 88 países e 25 organizações internacionais. O documento garante aos portadores de deficiência física o ingresso no ensino regular.
A coordenadora-geral de Articulação da Política de Inclusão no Sistema de Ensino da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão, do Ministério da Educação, Suzana Maria Brainer, destaca que os avanços da inclusão dos deficientes na educação são crescentes. Ela ressalta que, embora 140 mil jovens e crianças de até 18 anos que recebem o BPC na Escola ainda estejam fora da sala de aula, esse número chegava a 374 mil em 2007, quando o BPC foi criado.

 http://web03.jb.com.br/pais/noticias/2014/09/23/falhas-da-educacao-inclusiva-ainda-deixam-140-mil-jovens-fora-das-escolas/

O Museu de Arte Moderna de São Paulo preparou uma exposição interativa, voltada especialmente para pessoas surdas.



O Museu de Arte Moderna de São Paulo preparou uma exposição interativa, voltada especialmente para pessoas surdas. As atrações chamam a atenção, principalmente, das crianças.((exibida dia 26/09/2014))

"Visual" - de Segunda a Sexta, às 8h da manhã, na TV Brasil.

www.tvbrasil.ebc.com.br/visual

Processo Seletivo Graduação em Libras - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

Processo Seletivo Graduação em Libras
Seleção de candidatos para provimento exclusivamente de 30 (trinta) vagas no curso de graduação em Letras-Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), oferecido no Centro de Ciências Humanas e Letras da UFPI, em Teresina, para ingresso no 2º semestre letivo de 2014, e utilizará como critério único de avaliação e seleção os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio – Edição 2013 (ENEM 2013).
 
 Clique aqui para realizar sua inscrição

 Edital 87/2014 - Inscrições no período de 29/09 a 06/10/2014
OBS. Em breve será disponibilizado o vídeo do Edital em Libras - Informações na Coordenação do Curso pelo telefone (86) 3215-5783.

http://www.ufpi.br/copese2/materias/index/mostrar/id/13169 

ENCONTRO DE MOVIMENTOS DOS SURDOS DE RS - CAXIAS / RS

Divulgando!!! entrada de grátis!! Em Caxias do Sul-RS... Estamos esperando por vocês lá...


 https://www.facebook.com/ASPILSOficial/photos/a.537196332999485.1073741825.502470923138693/815977408454708/?type=1&theater

Livro: "Orações que Deus gostaria de ouvir" - edição especial de inclusão.


É com grande alegria que convidamos todos os nossos seguidores para o lançamento do livro "orações que Deus gostaria de ouvir" edição especial de inclusão, no dia 01 de outubro às 19:30 no salão social da Primeira Igreja Batista de Curitiba situada na rua Bento Viana 1200. Na ocasião teremos várias apresentações de grupos de pessoas com deficiência e uma palavra do autor o pastor Paschoal Piragine Jr #100anosPIBCuritiba #30anosEficiente

PARA ADQUIRIR:
 
é só mandar um email para 

pib@evangelicadecuritiba.com.br 

PS Edição limitada.

 https://www.facebook.com/482083561901387/photos/a.482085475234529.1073741828.482083561901387/596632270446515/?type=1&theater

VIII SEMANA NORTE MINEIRA DOS SURDOS E I ENCONTRO DE PROFESSORES SURDOS DE MINAS GERAIS - Festa a fantasia - Asmoc 27-09-2014


Festa a fantasia - Asmoc 27-09-2014