RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

CURSO LIBRAS EM CONTEXTO PARA CRIANÇAS SURDAS - CURITIBA / PR


A Secretaria Municipal de Educação de Ilhéus (Seduc) promove curso Básico de Língua Brasileira de Sinais.

29/jan/2014 . 11:00 | Autor: Roberto Rabat Chame | Nenhum comentário »
 
O curso ocorre nos dias 29, 30 e 31 de janeiro e 1º e 15 de fevereiro e serão trabalhados conteúdos como Legislação, Alfabeto Manual e Numerais, configurações de Mão, Parâmetros da Língua de Sinais, tipos de frases em Libras, identificação pessoal entre outros.
A Secretaria Municipal de Educação de Ilhéus (Seduc) promove curso Básico de Língua Brasileira de Sinais com o objetivo de capacitar profissionais do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) para o relacionamento com pessoas surdas e mudas. As atividades ocorrem a partir desta quarta-feira, dia 29, e vão até a sexta-feira, dia 31, no período das 16 às 18h15, e em dois sábados (1º e 15 de fevereiro), das 8 às 11 horas, no SAC.
O curso será ministrado pelas intérpretes Elisângela Coelho Rosa e Maria Angélica Rocha Castro Silva e terá carga horária de 40 horas, com certificação para os participantes. As instrutoras da rede municipal seguirão uma ementa, que inclui informações sobre Legislação, Alfabeto Manual e Numerais, configurações de Mão, Parâmetros da Língua de Sinais, tipos de frases em libras, identificação pessoal, saudações, calendário, advérbios de tempo, verbos, sinais referentes a documentos pessoais, lugares públicos, casa e escritório, profissões, bairros de Ilhéus, antônimos e pronomes interrogativos.
Conforme explica a Diretora do Centro de Referência e Inclusão à Escola (CRIE), Jorsinai de Argolo Souza, os deficientes audiovisuais estão ganhando mais espaço, indo às ruas ou órgãos públicos, surgindo daí, a necessidade de difusão da linguagem, facilitando o atendimento. “O curso dá a possibilidade de ampliar o conceito de inclusão social, despertando no empresário e na comunidade a necessidade de se fazer atividades inclusivas; é também uma forma de conscientizar a população e chamar a atenção de que se deve criar melhores condições para quem possui algum tipo de deficiência”.

Secretaria de Comunicação (Secom)

http://www.r2cpress.com.br/v1/2014/01/29/secretaria-de-educacao-de-ilheus-promove-curso-de-libras/

Central de Intérpretes de Uberlândia oferece tradutores de Libras para surdos

Inaugurada há pouco mais de um mês, a Central de Intérpretes de Libras (CIL) fez 60 atendimentos gratuitos de tradução da língua de sinais (Libras) para deficientes auditivos. Os intérpretes auxiliam os surdos que se consultam na rede pública, seja em consultas médicas ou ligadas à justiça. Uberlândia é a segunda cidade do Estado a implantar o serviço, depois de Belo Horizonte, em cumprimento à Lei Estadual número 10379 de 10 de novembro de 1991, que determina acessibilidade dos surdos às repartições públicas.
Galvão usou o trabalho de intérprete da CIL em um exame de mamografia (Foto: Marcos Ribeiro)
O principal trabalho da CIL é disponibilizar pessoas ouvintes com formação em Libras, como intérpretes do deficiente auditivo para adquirir o serviço que ele necessita. “Ainda temos muito para avançar em termos de estruturas físicas e suporte profissional para atender aos três mil (surdos) conveniados na cidade”, disse o superintendente da pessoa com deficiência e mobilidade urbana José Antônio Leandro.
Para a auxiliar de escritório Denise Cândido de Jesus Galvão, o trabalho de intérprete da CIL foi fundamental quando ela passou por um exame de mamografia. “Eu nunca encontrei este serviço antes e facilitou demais minha interação com as pessoas.”
A professora de Libras da Universidade Federal de Uberlândia Flaviane Reis disse que os surdos precisam da mediação de quem conhece a linguagem dos sinais. “Muitos surdos têm dificuldade de comunicação quando precisam ir ao médico, por exemplo.”
“Notamos que foi um ganho muito especial, pois antes da Central, alguns até pagavam por este serviço”, afirmou uma das intérpretes da CIL, Helika Ete da Silva Ribeiro. Ela ainda disse que os atendimentos podem ser feitos pessoalmente, via internet ou por telefone para familiares.
Central de Intérpretes de Libras (CIL) em Uberlândia:
- Criação em conformidade com Lei Estadual número 10379 de 10 de novembro de 1991, iniciativa do governo federal em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) e da Prefeitura de Uberlândia, através da Superintendência da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Urbana
- Atendimentos: segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h
- Serviços: tradução da língua de sinais (Libras) por meio de intérpretes para deficientes auditivos em consultas públicas, como saúde, educação, Fórum, delegacias e Tribunais
- Endereço: sede do Sine (Sistema Nacional de Emprego), na praça Tubal Vilela, região central de Uberlândia
- Telefone: 3235-4174
- e-mail: libras.uberlandia@social.mg.gov.br
- Endereço de Skype: libras.uberlandia@outlook.com
- Cadastro na Central: feito com documento de identidade, CPF e comprovante de endereço

 https://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/central-de-interpretes-de-uberlandia-oferece-tradutores-de-libras-para-surdos/

Banda Duranbah - Palavras (Acessível em Libras)

''Quando se escuta com os olhos!''

''Em todos os casos e em todas as faixas etárias, a surdez não deve ser um fator impeditivo para a educação, para a socialização e para o pleno exercício da cidadania.''
Documentário ''Quando se escuta com os olhos!''


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

DEUS ABENÇOA MINHA FAMÍLIA


IGREJA EVANGÉLICA PLENITUDE - CULTO AOS DOMINGOS COM INTERPRETAÇÃO EM LIBRAS - OSASCO / SP


22º ENCONTRO NACIONAL DE CODAS - BH / MG



Prezados amigos, pais surdos, filhos ouvintes ... Já abrimos as inscrições para o II Encontro Nacional de Filhos Ouvintes de Pais Surdos do Brasil (Codas).
O link para fazer a inscrição é:
https://docs.google.com/forms/d/1AiCdC1hVJlvX112RES6cLQ0C8oiF8uSyVi1vmKpubkk/viewform

Cursos do Pronatec para pessoas com deficiência têm mais de 3 mil vagas


26.01.2014, O Documento

O secretário adjunto de Direitos Humanos, Valdemir Pascoal, participou da reunião promovida pela Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Presidência da República para discutir a articulação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) em Mato Grosso. Foram avaliadas e discutidas estratégias para ampliar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica para pessoas com deficiência, no âmbito do PRONATEC Plano Viver sem Limite.
A reunião contou com a presença de representantes dos órgãos que atendem pessoas com deficiência, Instituto Federal de Mato Grosso, secretarias Estaduais de Educação, Ciência e Tecnologia e Direitos Humanos, parceiros do Sistema S, e da representante da SDH, Denise Oliveira Alves, consultora do programa em Mato Grosso e Goiás.
A proposta do PRONATEC Viver sem Limite é que o Governo Federal, estados, Distrito Federal e municípios estabeleçam as estratégias. A consultora Denise Alves disse que o programa auxilia pessoas com deficiência a serem inseridas no mercado de trabalho. “O Pronatec vem para tirar essas pessoas da invisibilidade, para terem uma qualificação e uma inserção mais qualificada. Temos que fazer essa articulação entre os demandantes e os ofertantes dos cursos, para que alinhados possam garantir o direito dessas pessoas de fazerem e se inserirem no mercado”.
No último ano, as matrículas ficaram muito aquém do desejado em todo o Brasil, então por isso esta ação de induzir e sentar com os conselhos, secretarias e parceiros para captar as pessoas com deficiência, sem acesso à informação necessária.
A Sejudh é representada pelo Conselho da Pessoa com Deficiência. “É importante conseguimos preencher as 3.500 vagas que é proposta para no nosso Estado, e a nossa participação enquanto secretaria é que todos os municípios participem, fazendo uma convocatória geral. A dificuldade é extrema e o limite precisa ser atingido”, frisou o secretário adjunto Valdemir Pascoal.

 http://portalinclusao.com/noticia/26-01-2014+cursos-do-pronatec-para-pessoas-com-deficiencia-tem-mais-de-3-mil-vagas

DESENVOLVIMENTO NORMAL DA FALA E DA AUDIÇÃO


Libras e Sign Writing no Frei Pacífico, em Porto Alegre.


Tire suas dúvidas sobre inclusão

Neste fórum, a professora Rossana Ramos, da Universidade de Pernambuco, fala sobre como gestores podem transformar a escola para incluir de verdade

Rossana Ramos. Foto: Reprodução
O número de alunos com deficiência incluídos em turmas regulares não para de crescer. Em 2009, mais de 386 mil crianças e jovens com deficiências, Transtorno Global do Desenvolvimento e altas habilidades foram matriculados nas escolas brasileiras. Os dados indicam que o pensamento dos gestores caminha a favor da diversidade, mas incluir de verdade implica mudar princípios, formar equipes e adaptar estruturas no ambiente escolar, garantindo a aprendizagem de todos - o que, na prática, pode tornar-se um grande dilema.
Por isso, a professora Rossana Ramos, autora do livro "Inclusão na prática: Estratégias eficazes para a Educação Inclusiva" (Ed. Summus, 128 págs.) participa de um fórum permanente sobre o tema.

Aproveite este espaço para trocar ideias e tire suas dúvidas sobre inclusão. 

Click no link abaixo:

Se a criança se atrasar no aprendizado da fala, pode ser indício de que ela sofre de um problema de audição. Entre três e quatro anos, ela já deve ter a sua fala desenvolvida. Você já prestou atenção nesse detalhe?

SAÚDE

Problemas de audição e respiração

Seu filho ainda não fala, dorme mal ou não ouve direito? Aprenda a identificar os problemas que atrapalham o desenvolvimento das crianças

Foto: Problemas na audição e na respiração comprometem o aprendizado. Garanta a saúde de seu filho com nossas dicas!
Problemas na audição e na respiração comprometem o aprendizado. Garanta a saúde de seu filho com nossas dicas!

Veja dicas de como identificar problemas de audição e respiração no seu filho:
A criança nasce e já é capaz de escutar. Mas há casos de perda auditiva desde o nascimento ou provocada por infecção nos primeiros meses de vida. Sem ouvir direito, a criança tem o desenvolvimento da linguagem comprometido, assim como o contato com o que lhe rodeia. "A audição é fundamental", salienta Renata Di Francesco, otorrinolaringologista infantil do Hospital das Clínicas, em São Paulo. "É ela que permite à criança se localizar no meio ambiente, interagir com as pessoas e aprender a falar."

Há ainda a criança que ronca, respira pela boca ou tem parada respiratória enquanto dorme (apneia do sono). Resultado? "Por dormir mal, essa criança vai ser muita agitada e ter dificuldade de se concentrar, afetando o rendimento escolar", alerta Renata.

Para reconhecer os sinais de problemas com a audição e a respiração de seu filho, atenção às dicas dos especialistas:
Para ler, clique nos itens abaixo:
1. Fique atento aos pequenos sinais
2. Desconfie da dificuldade em excesso para falar
3. Detecte o problema o quanto antes
4. Preste atenção no sono de seu filho
5. Descubra se seu bebê ouve bem
6. Conheça os tipos de surdez
7. Confira as etapas de maturação do sistema auditivo infantil
 
 http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/problemas-audicao-respiracao-730741.shtml?utm_source=redesabril_educar&utm_medium=facebook&utm_campaign=redesabril_educar

Tradutor e intérprete: mercado é promissor para os próximos anos

Ainda que o conhecimento aprofundado das línguas possa ser adquirido de diferentes maneiras, cursos de qualificação tornam mais fácil e seguro o caminho para o sucesso

A carreira de tradutor e intérprete é uma das mais promissoras para os próximos anos, segundo avaliam especialistas. Em razão do bom momento da economia nacional e da escolha do país como sede da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, o Brasil se prepara para receber grande contingente de empresas, investimentos e turistas. A profissão não possui regulamentação. Mas, ainda que o conhecimento aprofundado em língua portuguesa e língua estrangeira - requisito básico para ingressar no mercado - possa ser adquirido de diferentes maneiras, cursos de qualificação e formações em nível graduação e pós tornam mais fácil e seguro o caminho para o sucesso.
tradutor pense empregos
Segundo Adila Moura, coordenadora dos cursos de Letras da Unisinos, o profissional, em tese, precisaria de uma formação técnica, que prevê como funcionam as línguas de chegada, ou seja, o alvo de estudo.  “É uma área de conhecimento com muitas especificidades. O tradutor deve ter pleno domínio de duas línguas: a portuguesa e a estrangeira”, explica.
Os cursos de formação podem ser de ensino médio, como é o caso da Escola 25 de Julho, em Novo Hamburgo (RS), que oferece curso técnico de tradutor e intérprete, ou de ensino superior, com opções de bacharelado em Letras com habilitação em tradução. Existem ainda cursos de extensão e de especialização para profissionais graduados.
O estudo é uma preparação para lidar com os aspectos das línguas, como estudos aplicados, teorias de tradução e como desenvolver um trabalho em tradução, técnicas, metodologia e tecnologias. “O profissional precisa ter domínio do ofício. Porque eu sei falar português não necessariamente eu sei ensinar português. Ler sobre medicina não me faz médico. O mesmo acontece com a lingüística e com tradução”, enfatiza Adila.
Por outro lado, como a profissão não possui regulamentação, qualquer pessoa que possua conhecimento avançado de outros idiomas pode exercê-la. “Não há exigência de diploma ou curso superior para atuar no setor”, esclarece Pérsio Burkinski, intérprete há mais de 20 anos e diretor-fundador da Millennium Traduções e Interpretações, de São Paulo. Para o profissional, o mercado não diferencia candidatos diplomados, pois são contratados através de testes e o que conta como vantagem são a capacidade de interpretação e o conhecimento na língua estrangeira.
As possibilidades de trabalho incluem diversas atividades. As mais conhecidas, entretanto, são a tradução simultânea (realizada ao vivo, em tempo real e com auxílio de cabine e equipamentos) e a tradução consecutiva (feita no momento seguinte à fala do palestrante, em curtos intervalos de tempo). O objetivo principal é garantir a fluidez do discurso, privilegiando a essência da mensagem e permitindo, assim, uma comunicação interpessoal de qualidade.
A área também permite a realização de serviços como tradução de websites, de contratos e documentos oficiais – nesses casos, faz-se a tradução juramentada, realizada por profissionais que, submetidos a concurso público, executam operações que necessitem de fé pública  -; implantação de softwares de empresas multinacionais; acompanhamento a encontros políticos e corporativos e monitoramento de atividades turísticas.
Francisco Araújo da Costa é tradutor há seis anos.  Formado em Publicidade e Propaganda e Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), experimentou a função apenas como renda extra e descobriu que gostava mais do que os outros trabalhos anteriores. Para ele, a carreira vale o investimento no curto e médio prazo, pois a demanda por mão de obra qualificada é maior que a oferta de profissionais.
Ainda que graduado em Letras, Costa defende que a formação não é essencial. “A formação tem suas vantagens, mas está longe de ser necessária. Conhecimento técnico na área em que traduz tem mais vantagens ainda, mas qualquer profissional ganha mais como engenheiro do que como tradutor de engenharia, como médico do que tradutor de medicina”, explica.
Remuneração e mercado de trabalhoA remuneração dos tradutores e intérpretes é bastante variável e, geralmente, está associada à produtividade e à experiência do profissional. O salário mensal de um iniciante contratado pode chegar a R$ 2 mil, enquanto os mais veteranos, e com uma rede de contatos que lhes permitam trabalhar como freelancer, podem ganhar até R$ 15 mil.
O eixo Rio-São Paulo concentra a maioria das demandas exigidas pelo mercado. Quanto aos idiomas, os mais requisitados são inglês e espanhol, seguidos por francês, alemão e italiano.
Apesar do cenário favorável ao crescimento do mercado, o setor enfrenta uma grande dificuldade: a carência de profissionais, em quantidade e qualidade. “Os obstáculos são ainda maiores quando a procura é por profissionais capacitados para atuarem em nichos específicos, como a área médica, por exemplo”, enfatiza Burkinski.  Outro ponto apontado é que o Brasil está carente de cursos de formação. Para ele, “o país precisa investir em cursos mais práticos como os da Europa. A pós-graduação é mais forte”.
Também é necessário atentar a valores como a postura e a ética, aponta o diretor da Millennium. Para ele, parte dos problemas enfrentados no setor de traduções e interpretações não se deve às dificuldades com a língua, e sim à transgressão de tais princípios. O profissional precisa se comportar de modo discreto e estar trajado de acordo com as exigências do evento. “Além disso, jamais deve emitir juízos sobre o que está sendo dito e nem ocultar falas por discordâncias de opinião”, completa Burkinski.

 http://revista.penseempregos.com.br/noticia/2011/11/tradutor-e-interprete-mercado-e-promissor-para-os-proximos-anos-3579711.html

5 perguntas e respostas sobre inclusão de alunos surdos

Respondemos a cinco dúvidas comuns sobre os programas governamentais e a oferta de materiais de apoio para incluir os alunos com deficiência auditiva nas turmas regulares

1 Toda escola deve ter um intérprete de Libras?
Qualquer escola que tiver alunos com deficiência auditiva nas classes regulares tem o direito a um intérprete de Libras. Caso você tenha apenas um aluno surdo matriculado, procure outras escolas da região e monte um pequeno grupo de estudantes que possam receber o atendimento de um profissional no contraturno. Isso facilita o trabalho das Secretarias de Educação, que cadastram intérpretes anualmente, mas ainda não conseguem atender à procura das instituições de ensino.
Outro profissional importante nesse processo é o instrutor surdo - um profissional com deficiência auditiva que atua na escola e ensina a língua de sinais para os alunos surdos e, eventualmente, para os ouvintes também.
Continue lendo
 http://revistaescola.abril.com.br/inclusao/educacao-especial/5-perguntas-respostas-politicas-publicas-inclusao-surdos-613409.shtml

SOU OUVINTE E AMO LIBRAS


Music Libras - Versos Simples

SURDO NÃO É MUDO


QUANDO VOCÊ DESISTE DE SE COMUNICAR EM LIBRAS, VOCÊ DESISTE DE UM SURDO


CURSO DE LIBRAS - FLORIANÓPOLIS


MINI CURSO DE LIBRAS - JUNDIAÍ


Irmão de vencedora do ‘Big Brother’ britânico é espancado por ser surdo

Harry Gibson, irmão de Josie, foi espancado por não conseguir indicar o caminho Foto: Reprodução/Twitter /
Extra
Tamanho do texto A A A
O irmão de Josie Gibson, vencedora do reality show “Big Brother” do Reino Unido, foi espancado na noite de domingo porque não conseguiu dar informações para um grupo de homens. Harry Gibson, que é surdo, tentou responder ao grupo com linguagem de sinais, mas foi agredido. “Eu vou perseguir as pessoas que fizeram isso! O cara mais legal que eu conheço foi espancado porque eles pensaram que ele era surdo e burro”, disse Josie no Twitter.
O ataque ocorreu quando ela comemorava o aniversário de 29 anos com a família e amigos em Bristol, no Reino Unido. Os homens pediram para Harry indicar o caminho para determinado lugar e sua tentativa de resposta enfureceu o grupo. “Hoje perdi minha fé na humanidade. Eu fui ao banheiro, e meu irmão foi espancado por ser surdo. Que mundo nojento!”, disse Josie na rede social.
Harry é surdo desde que teve meningite, quando era criança. Sua irmã, Josie, foi a vencedora do “Big Brother” em 2010 e já trabalhou como apresentadora. Ela ganhou notoriedade após perder mais de 25kg em seis meses e lançar um DVD ensinando o que fez para ficar em paz com a balança.
Josie antes e depois de emagrecer 
 
http://extra.globo.com/noticias/mundo/irmao-de-vencedora-do-big-brother-britanico-espancado-por-ser-surdo-11412226.html

Humor Surdo: Cristiano Ronaldo Surdo

Cão-ouvinte




 (…)
Assim como os cães-guias e os cães de assistência, o cão-ouvinte é treinado para atender o seu dono (surdos e deficientes auditivos) em situações cotidianas. Se o telefone toca, se a panela de pressão apita sobre o fogão, se o alarme de incêndio dispara ou se alguém chama à porta, o cão-ouvinte vai até o seu dono, avisa-o e o conduz até a fonte sonora, alertando sobre o barulho. Tanto em casa como em áreas externas, esses cachorros (de diferentes raças e tamanhos) auxiliam pessoas surdas no reconhecimento de avisos sonoros. No Brasil, alguns poucos cães-ouvintes são treinados para estarem com pessoas surdas (clique aqui para conhecer Sinatra, um querido cão-ouvinte brasileiro), ainda causando estranheza para muitos. Já em países como Inglaterra, centenas de labradores, cocker spaniels, poodles, vira-latas, etc., convivem com os seus donos surdos, auxiliando-os em suas atividades diárias – clique aqui para conhecer a Hearing Dogs for Deaf People (Cães Ouvintes para Pessoas Surdas), uma das principais organizações europeias que, desde 1982, atua com o treinamento de cães-ouvintes. Para conhecer o The Hearing Dog Program (vídeo abaixo), um programa estadunidense de treinamento de cães-ouvintes, clique aqui.




http://culturasurda.net/2013/11/22/cao-ouvinte/

sábado, 25 de janeiro de 2014

SINAL DE "BRASIL"


Vamos descobrir o nome do mascote da Copa?

Proposta para os pequeninos.
Vamos descobrir o nome do mascote da Copa?
Ah, mas tem que decifrar o código ... Você conhece este tipo de linguagem?
Gostaria de aprender?



 http://www.ideiacriativa.org/2013/06/atividade-copa-das-confederacoes-libras.html
Atividade Qual é a Sombra Copa das Confederações 2013

VAMOS CRIAR UM SINAL PARA O NOSSO MASCOTE FULECO?


Postem seus videos /fotos em grupo "Copa do Mundo 2014: lingua de sinais" para a votação até dia 15 de fevereiro!

Link do grupo:

https://www.facebook.com/groups/Copamundolibras/?ref=ts&fref=ts
 

QUAL É A RESPOSTA?