RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Universitário com surdez fica sem intérprete e colegas fazem greve


18/10/2012 07h05 - Atualizado em 18/10/2012 07h05

Aluno do curso de história está sem acompanhar as aulas desde setembro.
Universidade de GO afirma que divulgou vagas, mas ninguém se habilitou.

Humberta Carvalho Do G1 GO
11 comentários
Rodrigo Nascimento Guedes, de 21 anos, tem deficiência auditiva e está sem o acompanhamento do intérprete nas aulas, em Goiás (Foto: Rosemeire Vaz/Arquivo Pessoal) 
Rodrigo perdeu 100% da audição aos 2 anos (Foto: Rosemeire Vaz/Arquivo Pessoal)
 
Alunos do 4º período do curso de história da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) se solidarizaram com a causa de um colega com deficiência auditiva e decidiram entrar em greve na noite da última terça-feira (16). Segundo os estudantes, desde o dia 28 de setembro, Rodrigo Nascimento Guedes, de 21 anos, está sem acompanhar as aulas por falta de uma intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras).
Por nota, a PUC informou que já abriu vagas para o cargo. Porém, alega que mesmo diante da divulgação das mesmas, nenhum candidato se habilitou. Segundo a instituição, todas as providências estão sendo tomadas para que a contratação ocorra o quanto antes.
A representante da turma, Rosemeire Vaz, afirma que a instituição foi acionada sobre o problema 30 dias antes do antigo intérprete sair, quando ele começou a cumprir aviso prévio. Porém, até agora, não houve reposição da vaga e o colega, segundo ela, segue sem acompanhamento. “Na semana passada, o Rodrigo se reuniu com o reitor da PUC e ele prometeu um intérprete para a mesma semana, mas o profissional não apareceu”, ressalta a aluna.
Com a ajuda de um intérprete, o G1 falou com Rodrigo na quarta-feira (17). Ele disse que se sente excluído. “Estou tendo muita dificuldade. Sinto-me sozinho na sala pela falta do intérprete. Estou prejudicado na aprendizagem porque os meus colegas tentam me passar o conteúdo, mas eu não consigo compreender”, lamentou.
Direito
De acordo com o artigo 23 do Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005, as instituições de educação superior “devem proporcionar aos alunos surdos os serviços de tradutor e intérprete de Libras - Língua Portuguesa em sala de aula e em outros espaços educacionais, bem como equipamentos e tecnologias que viabilizem o acesso à comunicação, à informação e à educação”.
Rodrigo Nascimento Guedes, de 21 anos, tem deficiência auditiva e está sem o acompanhamento do intérprete nas aulas, em Goiás (Foto: Rosemeire Vaz/Arquivo Pessoal) 
 Rodrigo com colegas do curso de história na cidade de Goiás (Foto: Rosemeire Vaz/Arquivo Pessoal)
 
Segundo a mãe de Rodrigo, Rosemeire Bento Nascimento Guedes, o filho perdeu 100% da audição aos dois anos, em decorrência da meningite. “Ele fica triste com a situação porque ele é muito esforçado. Trabalha e estuda para ser igual aos outros. Mas como ele não faz leitura labial, sem a intérprete fica difícil. Quando ele fez o vestibular, apresentou um laudo médico e a PUC sabia que estava recebendo um aluno com surdez”, lembra.
O maior medo da mãe é que as notas do filho caiam. E, segundo a colega Rosemeire Vaz, é justamente isso que está acontecendo. “Ele é um dos melhores alunos. Nós apresentamos muitos seminários e não tem quem reproduzir o que ele fala, então as notas estão caindo. É uma situação caótica”, diz a estudante.
Rodrigo afirma que ficou feliz com a atitude de solidariedade dos colegas e espera que a ação sirva não apenas para o intérprete volte a acompanhá-lo, mas também para que a instituição invista mais na acessibilidade. “Precisamos continuar mostrando que a acessibilidade é importante. Acho que essa ação pode gerar mais acessibilidade”, acredita.

 http://g1.globo.com/goias/noticia/2012/10/universitario-com-surdez-fica-sem-interprete-e-colegas-fazem-greve.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI NO BLOG!!!
SEU COMENTÁRIO FAZ TODA DIFERENÇA!!!

Um comentário é o que você pensa, sua opinião, alguma coisa que você quer falar comigo.

BJOS SINALIZADOS.