RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Alunos do Centro de Ensino para Surdos são aprovados no vestibular da UFPI

O CAS vem se destacado com diversas atividades realizadas, dentre elas, vale ressaltar o preparatório para o vestibular.

Mateus Noronha
Centro De Apoio Pedagógico ao Surdo (CAS) (Foto:Ascom Seduc)
“Alguns alunos já me chamaram de louco, já sofri muito bullying na escola, já chorei muito. Hoje essa vitória eu dedico à minha família e, principalmente, ao Centro de Apoio Pedagógico ao Surdo (CAS) que foi a base da minha formação. Aqui encontrei apoio, estrutura, professores e gestão que contribuíram com 90% da minha aprovação. É uma sensação indescritível ver meu nome na lista dos aprovados”, conta emocionado o jovem Yago Pedro, de 18 anos, que nasceu surdo e hoje é exemplos de dedicação e superação ao ser aprovado no vestibular.


Centro De Apoio Pedagógico ao Surdo (CAS)( Foto: Ascom Seduc)
Assim como Yago, vários jovens do CAS, instituição mantida pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) têm motivo de sobra para comemorar. Localizado no bairro Monte Castelo, Zona Sul de Teresina, o Centro vem se destacado com diversas atividades realizadas, dentre elas vale ressaltar o preparatório para o vestibular. Dos 14 alunos surdos que estão assistindo aulas, nove foram aprovados e três estão na lista de classificados da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Para Yago, que foi aprovado no curso de Licenciatura em Letras – Libras da Universidade Federal do Piauí, ver a alegria dos seus pais com a conquista é motivo de realização. “Para nós foi uma surpresa muito grande a aprovação. Mesmo eles sempre tendo acreditado em mim e no meu potencial, o resultado surpreendeu”, afirma.

A diretora do CAS, Rachel Andrade, comemora a conquista. "A aprovação é reflexo de um trabalho coletivo, onde todos trabalham com o objetivo maior de formar jovens conscientes. Somos uma família que cresce, trabalha, conquista, cai e levanta unida, ou seja, independentemente do momento ou situação estamos sempre juntos para desenvolver o melhor trabalho educativo para nossos jovens", declara a diretora.

Centro De Apoio Pedagógico ao Surdo (CAS)( Foto: Ascom Seduc)
Preconceito

Yago acredita que não existe preconceito pior do que o do próprio deficiente. “Quando o deficiente acredita que não pode levar uma vida normal, ele perde o estímulo. Esse preconceito é o primeiro que deve ser combatido. Independentemente de ser surdo, posso viver, estudar. Como homem e cidadão contribuo para o desenvolvimento do País em que nasci”, afirma.

Para o aluno, ainda faltam cuidados e sensibilidade com os surdos de boa parte da sociedade. “Às vezes me pergunto se eu que estou surdo ou as pessoas em geral. Uma vez estava subindo em um ônibus e um moço me empurrou, gritou, quando falei que era surdo, nem sequer pediu desculpas. Por outro lado, já encontrei pessoas maravilhosas, sensíveis e de alma boa”, cita.

Ávido de conhecimento, o novo universitário não contém a alegria e ansiedade para que se iniciem logo as aulas. “Os desafios estão aí para ser encarados e superados. Sei que muitas batalhas estão por vir. Mas não me sinto no direito de desistir, pois muita gente não consegue chegar onde cheguei”, fala o estudante.

Centro De Apoio Pedagógico ao Surdo (CAS)( Foto: Ascom Seduc)
Planos para o futuro

O jovem disse que seu sonho é ser professor de Libras. "Sei que a jornada é longa, mas vou mostrar a todos que sou um vencedor", garante.

De acordo com a diretora do CAS, historicamente a sociedade tem dito para as pessoas com deficiência auditiva que elas não são capazes . "Muitos acreditam que elas não são capazes, mas essas pessoas estão mostrando que sim, são capazes. O exemplo do Yago e dos outros aprovados é muito importante para termos consciência que qualquer pessoa que tenha oportunidade, que é estimulada, consegue", finaliza Rachel Andradel.
 
 http://www.piaui.pi.gov.br/noticias/index/categoria/2/id/20775

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI NO BLOG!!!
SEU COMENTÁRIO FAZ TODA DIFERENÇA!!!

Um comentário é o que você pensa, sua opinião, alguma coisa que você quer falar comigo.

BJOS SINALIZADOS.