RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

quinta-feira, 19 de março de 2015

A criança e as dores de ouvido

Fonte: Consultório Pediátrico
dor de ouvido
Inscreva-se em nosso site e receba informações sobre os trabalhos da Biblioteca:

linha
“As dores de ouvido são identificadas pela atitude de defesa da criança ao se pressionar a cartilagem anterior da orelha: se a criança passa a mãozinha com frequência na região do ouvido, deve-se suspeitar muito mais de uma afecção na boca do que de dor de ouvido. Mas se ela teve anteriormente uma coriza, isto pode ser indício de uma infecção do ouvido médio (otite média), São especialmente violentas as dores da chamada, “otite gripal”, na qual logo se formam bolhas junto ao tímpano. Quando elas se rompem, escorre um pouco de secreção, muitas vezes sanguinolenta. As dores duram mais ou menos um dia. Na otite purulenta pode ocorrer um vazamento de pus para o exterior. Isto acontece em dez a vinte por cento dos casos não tratados. Após o inicio do vazamento do pus, as dores cessam rapidamente. Se contudo persistem, em geral é porque o outro ouvido também foi afetado.”

linha

As dores de ouvido são identificadas pela atitude de defesa da criança ao se pressionar a cartilagem anterior da orelha:
Se a criança passa a mãozinha com frequência na região do ouvido, deve-se suspeitar muito mais de uma afecção na boca do que de dor de ouvido. Mas se ela teve anteriormente uma coriza, isto pode ser indício de uma infecção do ouvido médio (otite média), São especialmente violentas as dores da chamada, “otite gripal”, na qual logo se formam bolhas junto ao tímpano. Quando elas se rompem, escorre um pouco de secreção, muitas vezes sanguinolenta.
As dores duram mais ou menos um dia. Na otite purulenta pode ocorrer um vazamento de pus para o exterior. Isto acontece em dez a vinte por cento dos casos não tratados. Após o inicio do vazamento do pus, as dores cessam rapidamente. Se contudo persistem, em geral é porque o outro ouvido também foi afetado.
Em todos os casos citados é possível obter alivio da dor através de uma compressa de camomila ou de cebola. A febre deveria ceder consideravelmente dentro de três dias. Se acaso continua alta, o médico deve examinar a criança novamente, a fim de eliminar a possibilidade de complicações. Antitérmicos não fazem sentido para a cura. Supurações do ouvido médio duram geralmente de cinco a dez dias. Mesmo que durem mais, isto não acarreta necessariamente lesão auditiva permanente. Mas naturalmente é necessário proceder a controles regulares. Às vezes o ouvido de um lactente começa a purgar sem manifestações anteriores, e da mesma forma se cura.
A incisão no tímpano para a salda do pus (paracentese) só é, segundo nossa experiência, necessária em casos raros. Ouvidos que secam muito rapidamente tendem mais a recidivas, ou seja, recaídas da doença — o que ocorre quando se forma uma crosta pegajosa atrás da qual o pus fica retido. Em tais casos a temperatura se eleva novamente além de 38°C, e o médico deve então ser procurado.
Uma perfuração do tímpano, de modo geral, restaura-se perfeitamente. Nas poucas exceções onde os ouvidos permanecem purgando cronicamente, existe sempre uma deficiência congênita das mucosas. Com base em nossas experiências, consideramos a otite média uma doença que só excepcionalmente exige tratamento com antibióticos. Se o organismo é ajudado, por meio de medicamentos constitucionais adequados, a confrontar-se ativamente com a doença, haverá como conseqüência o fortalecimento de toda a organização auditiva. As recidivas são mais raras.
O tratamento da otite média é sempre da competência do médico. Nele será incluído o tratamento concomitante das vias respiratórias superiores, ou seja, da coriza ou das vegetações adenóides existentes. Uma forma totalmente inofensiva de “secreção do ouvido” acontece quando lágrimas ou a água do banho penetram no canal auditivo e amolecem a cera do ouvido (cerúmen) de tal forma que esta começa a escorrer e apresenta um aspecto de pus. Do mesmo modo, uma mancha marrom “sanguinolenta” no travesseiro pode ser apenas um pouco de cerúmen que amoleceu e escorreu para fora.
Vômitos não fazem parte do quadro da otite média simples, e merecem ser relatados ao médico. Para a limpeza dos ouvidos deveria ser usado apenas algodão, e unicamente nas orelhas e na parte visível do canal auditivo. Uma penetração mais profunda interfere no processo de autolimpeza do epitélio do canal auditivo — o epitélio que cresce do tímpano em direção ao exterior e geralmente carrega consigo o cerúmen velho. As mucosas das vias respiratórias e da parte profunda do canal auditivo são providas de um mesmo nervo, sendo que urna limpeza muito profunda pode provocar tosse e espirros.

 http://www.antroposofy.com.br/forum/a-crianca-e-as-dores-de-ouvido/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI NO BLOG!!!
SEU COMENTÁRIO FAZ TODA DIFERENÇA!!!

Um comentário é o que você pensa, sua opinião, alguma coisa que você quer falar comigo.

BJOS SINALIZADOS.