RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

sábado, 23 de abril de 2016

Ensino da Língua Brasileira de Sinais em escolas ajuda na inclusão dos alunos surdos

A sala de aula comandada pela professora Ivoneide de Lima da Silva pode inicialmente parecer mais silenciosa do que o de costume, mas isso não significa que a aula esteja menos dinâmica ou participativa.

Ivoneide é professora especialista em Libras (Língua Brasileira de Sinais) e ensina a língua para alunos surdos e ouvintes na Escola Municipal Zumira de Novaes. No próximo dia 24 de abril é celebrado o Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais (Libras).
A escola, assim como todas as 14 escolas municipais de tempo integral do município, possui aula de Libras destinadas tanto a alunos surdos quanto ouvintes. Atualmente, o local tem oito alunos surdos matriculados e faz um trabalho de inclusão. Ivoneide atua diretamente na sala de recursos, local para onde os alunos vão fora do horário regular e através de vários meios didáticos, aprendem a língua de sinais. “Os materiais enviados pelo Mec (Ministério da Educação), os DVDs e dicionários ajudam bastante. Aqui eles aprendem libras e isso os ajuda a entender português”, detalha a professora.
A professora frisa que é necessário entender que para os surdos, a Libras é primeira língua e o português a segunda. Alguns dos alunos chegaram à escola sem nenhum conhecimento dessa língua e hoje conseguem se comunicar com desenvoltura. “Língua é cultura e quando eles aprendem cedo tem a identidade bem resolvida. Eles se sentem valorizados e tem a aquisição da língua na idade correta”, pontua.
Para que a criança surda não sofra atraso na aquisição da língua, Ivoneide Frisa que é necessário que a família entenda a importância da Libras. Ela conta que as famílias se preocupam muito com a questão da oralidade, mas aquela criança que aprendeu primeiro a Libras consegue aprender outra língua, inclusive a portuguesa com mais facilidade.
Mas não são apensas crianças surdas que frequentam as aulas de libras, na Escola Municipal Zumira de Novaes, todos os alunos aprendem a língua reforçando o caráter inclusivo da educação, já que facilita a comunicação entre os alunos surdos e ouvintes. Inclusive os alunos ouvintes chegam a adaptar algumas das brincadeiras infantis tradicionais, espontaneamente para que todos possam participar igualmente.
Aliás, o interesse, o suporte e a compreensão dos alunos ouvintes são partes fundamentais no processo de inclusão. “Agora a gente consegue conversar com os alunos que não ouvem e isso ajuda a brincar”, destaca a aluna do quarto ano, Samira de Souza Alves, de nove anos. Samira estuda Libras desde o primeiro ano e consegue se comunicar com desenvoltura através da língua de sinais.
De acordo com a assessora da Coordenadoria de Inclusão especial da Secretaria de Educação de João Pessoa, Rosangela Ferreira, a prefeitura conta atualmente com 35 interpretes de Libras entre surdos e ouvintes. Os surdos trabalham com aqueles que ainda não aprenderam a língua de sinais, enquanto os demais trabalham com quem já conhece o idioma. O Centro de Línguas Estrangeiras da prefeitura (Celest) atualmente possui quatro turmas de Libras.

http://www.surdosol.com.br/ensino-da-lingua-brasileira-de-sinais-em-escolas-ajuda-na-inclusao-dos-alunos-surdos/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI NO BLOG!!!
SEU COMENTÁRIO FAZ TODA DIFERENÇA!!!

Um comentário é o que você pensa, sua opinião, alguma coisa que você quer falar comigo.

BJOS SINALIZADOS.