RYBENINHA

RYBENINHA
SINAL: BEM -VINDOS

DÊ-ME TUA MÃO QUE TE DIREI QUEM ÉS



“Em minha silenciosa escuridão,
Mais claro que o ofuscante sol,
Está tudo que desejarias ocultar de mim.
Mais que palavras,
Tuas mãos me contam tudo que recusavas dizer.
Frementes de ansiedade ou trêmulas de fúria,
Verdadeira amizade ou mentira,
Tudo se revela ao toque de uma mão:
Quem é estranho,
Quem é amigo...
Tudo vejo em minha silenciosa escuridão.
Dê-me tua mão que te direi quem és."


Natacha (vide documentário Borboletas de Zagorski)


SINAL DE "Libras"

SINAL DE "Libras"
"VOCÊ PRECISA SER PARTICIPANTE DESTE MUNDO ONDE MÃOS FALAM E OLHOS ESCUTAM, ONDE O CORPO DÁ A NOTA E O RÍTMO. É UM MUNDO ESPECIAL PARA PESSOAS ESPECIAIS..."

LIBRAS

LIBRAS
" A Língua de Sinais é, nas mãos de seus mestres, uma linguagem das mais belas e expressivas, para a qual, no contato entre si é como um meio de alcançar de forma fácil e rápida a mente do surdo, nem a natureza nem a arte proporcionaram um substituto satisfatório." J. Schuyler Long

LIBRAS

LIBRAS
"Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então o lugar é deficiente" - Thaís Frota

LIBRAS

LIBRAS
Aprender Libras é respirar a vida por outros ângulos, na voz do silêncio, no turbilhão das águas, no brilho do olhar. Aprender Libras é aprender a falar de longe ou tão de perto que apenas o toque resolve todas as aflições do viver, diante de todos os desafios audíveis. Nem tão poético, nem tão fulgaz.... apenas um Ser livre de preconceitos e voluntário da harmonia do bem viver.” Luiz Albérico B. Falcão

PEDAGOGIA SURDA

PEDAGOGIA SURDA
PROFESSOR BILÍNGUE

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS

QUANDO EU ACEITO A LÍNGUA DE SINAIS
“ A língua de sinais anula a deficiência e permite que os surdos constituam, então, uma comunidade lingüística minoritária diferente e não um desvio da normalidade”. Skliar

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Casal tem intérpretes em casamento e surpreende convidados surdos

Padre de Jaú diz que cerimônia é um exemplo para outros deficientes. Sete casais de padrinhos com a deficiência foram ajudados em evento.

Casal contou com auxílio de intérprete em altar (Foto: Reprodução/TV TEM) 
Casal contou com auxílio de intérprete em altar (Foto: Reprodução/TV TEM)
 
Um casal de deficientes auditivos deu uma lição de inclusão no dia do próprio casamento em Jaú (SP). Além do padre, os noivos Amanda Amadeu de Souza de 21 anos e Rafael Romin da Silva de 27 anos, contaram com a presença de intépretes da lingaguem de sinais. A intenção foi para que todos – absolutamente todos – os convidados pudessem acompanhar a cerimônia.
Além dos noivos, sete casais de padrinhos são surdos e três interpretes ajudaram na cerimônia para que a comunicação fosse perfeita entre todos. O casal nasceu com uma deficiência auditiva e se conheceu há pouco mais de oito anos em uma festa para surdos na cidade.  (Veja o vídeo acima traduzido na língua de sinais)
Amanda fez implante coclear aos 3 anos e Rafael, que é filho de surdos, usa aparelho auditivo. Os dois aprenderam a falar e apesar da dificuldade conseguem se comunicar muito bem. “A nossa dificuldade é aprender falar português e escrever, porque a língua de sinais é diferente e também não ouço a conversa para escrever certo”, explica Amanda. O casal domina a linguagem de sinais e Amanda ainda ensina libras para pessoas sem deficiência auditiva na Associação de Surdos de Jaú (ASJA).
Intérpretes
Eles decidiram se casar e segundo a noiva, não houve empecilhos. Eles tiveram três intérpretes durante a cerimônia, um para os padrinhos, um para convidados e outro para os noivos. “Precisei que os intérpretes ficassem em alguns lugares para os surdos verem, para eles entenderem o que o padre fala. Ainda bem que o padre aceitou trocar palavras difíceis por sinais”, conta Amanda. 
Convidados também tiveram ajuda de intérpretes (Foto: Reprodução/TV TEM) 
 
Convidados também tiveram ajuda de intérpretes de libras (Foto: Reprodução/TV TEM)
 
O casal ainda quebrou outras barreiras e decidiu falar os seus votos. “Foi do meu jeito, com os sinais para os surdos entenderem.” Para Miriam Suzi Amadeu Souza , a mãe da noiva, a realização desse sonho foi trabalhosa, mas serviu para mostrar que nada é impossível.
“Muitos se juntam porque acham muita dificuldade. É trabalhoso, mas dá para fazer. Tem coisa que ela não consegue se fazer entender e a gente ajuda. É uma batalha. Com um filho especial a gente sonha um monte de coisa e realizar algumas delas é uma emoção é muito grande”, comemora Miriam.
Através da irmã, Tatiane Romin, Rafael contou estava muito nervoso, mas que tinha certeza que será muito feliz com a esposa. "Ele ama muito ela. Sabe que vai ter que ter muita responsabilidade, fidelidade, amá-la, cuidar dela, trabalhar e futuramente filhos", afirma Tatiana.
Exemplo
O padre Celso Luiz Buscariolo da igreja Matriz de Nossa Senhora do Patrocínio, que realizou o casamento, diz que a celebração é a mesma e que o que muda é apenas a presença dos interpretes.
Ele também afirma que será um exemplo para outros deficientes que não se casam por receio das dificuldades. “Procurar ser bem natural e evitar constrangimentos. Muitos ficam tímidos com casamentos assim e vendo que alguém já quebrou essa barreira, facilita que outros criem coragem. Eles dão exemplo para os outros de superação e nos ensinam a tratá-los igualmente. Há dificuldade, mas atualmente há mais facilidades pelo envolvimento da comunidade”, comenta.

Padre diz que casal é exemplo para outros deficentes (Foto: arquivo pessoal / Amanda Amadeu) 
 Casal de deficientes auditivos se casou em Jaú (Foto: arquivo pessoal / Amanda Amadeu)

 http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/2015/09/casal-tem-interpretes-em-casamento-e-surpreende-convidados-surdos.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI NO BLOG!!!
SEU COMENTÁRIO FAZ TODA DIFERENÇA!!!

Um comentário é o que você pensa, sua opinião, alguma coisa que você quer falar comigo.

BJOS SINALIZADOS.